Por Pe. Eugênio Bisinoto, C.Ss.R. Em Artigos Atualizada em 02 OUT 2017 - 11H48

Aparecida: Histórico e Mensagem

 manto_julho_16_18

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

No Brasil, o título mariano mais conhecido é Nossa Senhora da Conceição Aparecida, cuja Imagem original mede 36 centímetros e pesa, aproximadamente, dois quilos e meio. Atualmente, encontra-se no Santuário Nacional, em Aparecida, SP.

Feita de terracota, um barro tipicamente paulista, a Imagem era policromada, de várias cores. Sua negritude se deve, primeiramente, à fumaça das velas queimadas em seu louvor, e, depois, à permanência dela, durante muito tempo, no fundo lodoso do rio Paraíba do Sul.

Em outubro de 1717, a Imagem foi encontrada por João Alves, Domingos Garcia e Felipe Pedroso, no rio Paraíba do Sul. Acharam primeiro o corpo e, depois, a cabeça da Imagem. Após esse encontro, os três humildes e benditos pescadores foram recompensados com uma prodigiosa pescaria. O povo deu a Imagem o nome de Aparecida para indicar as circunstâncias misteriosas de seu encontro.

::Nossa Senhora Aparecida - Padroeira do Brasil

CULTO MARIANO

Foto de: Elisangela Cavalheiro. 

Museu de Cera no Santuário Nacional de Aparecida (crédito  Elisangela Cavalheiro)

Museu de Cera do Santuário Nacional.

 

Filipe Pedroso levou a Imagem para sua casa. Ele mesmo, juntando a cabeça ao corpo, colou a Imagem com cera preta. Depois colocou-a num pequeno altar, em sua casa. Sua família e vizinhos iniciaram o culto familiar diante da Imagem. Todos os sábados os primeiros devotos se reuniam para rezar o terço e cantar as ladainhas nas piedosas melodias populares da época.

Em 1733, Felipe Pedroso foi residir no Porto Itaguaçu, local onde fora achada a Imagem. Lá entregou-a a seu filho Atanásio. Este construiu um pequeno oratório para Nossa Senhora, no próprio Porto Itaguaçu, à beira da estrada, por onde transitavam muitos viajantes. O culto mariano extrapolou os limites locais, propagando-se para outras regiões.

Percebendo a importância e a expansão da devoção mariana, o Pe. José Vilela, pároco da Paróquia de Guaratinguetá, construiu, no Morro dos Coqueiros, a primeira capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Foi benta e inaugurada em 26 de julho de 1745.

De 1845 a 1888, foi construída uma Igreja maior. Foi solenemente benta e inaugurada por Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, bispo de São Paulo, aos 24 de junho de 1888. Em 1908, o Papa Pio X lhe concedeu o título de Basílica Menor. É o mesmo templo que hoje conhecemos como Basílica Velha.

TRABALHO MISSIONÁRIO DOS REDENTORISTAS

Pioneiros redentoristasA pedido dos bispos brasileiros, os redentoristas assumiram o atendimento pastoral do Santuário mariano em 1895. Eles haviam chegado a 28 de outubro do ano anterior. Imprimiram um caráter missionário ao trabalho pastoral junto aos devotos e aparecidenses.

No século XX, tendo em vista que a Basílica Velha ficara pequena para comportar o número expressivo de romarias, que vinham de várias partes do Brasil, os bispos e os redentoristas resolveram construir o Santuário Novo, com a capacidade de acolher 40 mil peregrinos. As obras de construção foram iniciadas em 1955.

Em 1980 o Papa João Paulo II lhe deu o título de Basílica Menor. Em 1984 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil a elevou a Santuário Nacional. Hoje é um grande centro mariano de evangelização.

CATEQUISTA DO POVO BRASILEIRO

Nossa Senhora da Conceição Aparecida é a grande catequista do povo brasileiro. Tal expressão não surgiu arbitrariamente, mas foi formulada pelos bispos brasileiros. No documento 26, “Catequese Renovada”, aprovado em sua 21a. Assembléia Geral a 15 de abril de 1983, eles assim se expressam: “Pensando na multidão dos pobres e simples que têm verdadeira sede de Deus, recordamos agradecidos o papel de Nossa Senhora sob o título de Aparecida – a grande catequista que sustenta a fé e a esperança do povo brasileiro”.

 

A sua mensagem brota da sua própria Imagem, de seu simbolismo e do contexto histórico em que ela foi encontrada.

Como catequista, Nossa Senhora da Conceição Aparecida transmite a seus devotos uma bela e profunda mensagem de fé e de esperança, que os orienta em sua caminhada humana e cristã. Não há visões nem palavras da Padroeira do Brasil. A sua mensagem brota da sua própria Imagem, de seu simbolismo e do contexto histórico em que ela foi encontrada. Sua mensagem é muito rica em significados para a vida dos cristãos, mas destacamos apenas alguns aspectos relevantes.

Nossa Senhora traz à humanidade Jesus Cristo, o Salvador. Sua pequena Imagem constitui uma escultura da Imaculada Conceição. Ela aparece grávida porque a missão de Maria é oferecer ao seres humanos Jesus, fruto bendito de seu ventre.

MÃE DA UNIDADE

Nossa Senhora é a Mãe da unidade, que reúne os discípulos de seu Filho em comunidade. Quando foi encontrada, a Imagem tinha a cabeça separada do corpo. Como a Virgem Maria é imagem da Igreja, tal separação representa simbolicamente o Povo de Deus, como corpo, e o próprio Jesus como cabeça desta nova humanidade, que nasce de sua copiosa salvação. A cabeça foi colada no corpo por um dos pescadores. É preciso unir a cabeça e o corpo para que o povo se torne Corpo Místico de Cristo.

 

Nossa Senhora chama os cristãos a ser Igreja. Encontrada no Rio Paraíba do Sul, a Imagem é colocada pelos pescadores dentro de uma pequena barca, muito simples e pobre. Nas Sagradas Escrituras, a barca é o símbolo da Igreja de Jesus (Mt 14,22-33;Mc 4,35-41;Lc 5,1-11). “Em imagens que sempre reaparecem, os Padres da Igreja descrevem o barco da Igreja, no qual os fiéis atravessam em segurança o mar do mundo” (Manfred Lurker, escritor cristão). Portanto, a Mãe de Jesus convida os cristãos a viverem dentro da Igreja, como participantes fiéis, ativos e comprometidos com a evangelização.

Nossa Senhora convida a todos à prática da oração. Estando de pé, a Imagem tem as mãos postas em oração, revelando seu papel de intercessora junta Deus por todos os seres humanos. “Maria não vela apenas pela Igreja: tem coração tão grande quanto o mundo, e intercede ante o Senhor da História por todos os povos” (CNBB. Catequese Renovada, nº. 232). Ela convida a todos a se unirem com ela em oração, suplicando pela humanidade.

Nossa Senhora é achada nas águas. “O seu encontro nas águas simboliza a água do batismo pelo qual nascemos para Deus pelo Espírito Santo e formamos a Igreja de Cristo, sinal de sua presença no mundo” (Pe. Júlio J. Brustoloni, historiador redentorista). A água também simboliza a purificação. Tal elemento lembra a importância do sacramento da reconciliação, como purificação e perdão.

Nossa Senhora é solidária com o simples e sofredores. Em sua Imagem, faz-se “pescar” por três pescadores pobres e trabalhadores. A pesca prodigiosa, após o encontro da Imagem, liberta-os da ameaça dos poderosos. A casa de um dos pescadores torna-se o primeiro templo da Mãe Aparecida. O seu olhar aberto e compassivo mostra sua bondade e misericórdia para com os necessitados. 

Pe. Eugênio Antônio Bisinoto, CSsR
Membro da Academia Marial

Escrito por
Pe. Eugênio Bisinoto, C.Ss.R. (Pe. Eugênio Bisinoto, C.Ss.R.)
Pe. Eugênio Bisinoto, C.Ss.R.

Redentorista da Província de São Paulo, formado em filosofia e teologia. Atuou como formador, trabalhou no Santuário Nacional, onde foi diretor da Academia Marial.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Maria de Fátima dos Santos comentou:

MARAVILHOSO! SIMPLES ASSIM...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Eugênio Antônio Bisinoto, CSsR, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.