Padre brasileiro e associado da Academia Marial fez parte do séquito que acompanhou o Papa Francisco durante a JMJ. | Academia Marial - Santuário Nacional de Aparecida - Centro de Estudo sobre Nossa Senhora Aparecida
Padre brasileiro e associado da Academia Marial fez parte do séquito que acompanhou o Papa Francisco durante a JMJ.

Publicado em: 31/07/2013

31/07/2013

Padre brasileiro, diretor do Instituto religioso Schoenstatt, fez parte da comitiva que acompanhou o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude. O grupo é formado, conforme costa, por menos de dez pessoas. Padre Alexandre Awi de Mello conheceu o Papa Francisco durante a V CELAM, em Aparecida no ano de 2007. Ele é sócio colaborador da Academia Marial de Aparecida. Já deu palestras em Congressos Mariológicos da Academia.

O padre brasileiro é uma referência em mariologia, conjunto de estudos teológicos sobre Nossa Senhora. Não só a especialidade teológica do Pe. Alexandre Awi que chamou a atenção do Papa Francisco. O padre é um ótimo comunicador. Em São Paulo, no Instituto Secular dos Padres de Schoenstatt, onde mora, tornou-se uma liderança entre os jovens fiéis.

Na V CELAM auxiliou como secretário na comissão de redação do Documento de Aparecida, comissão esta que fazia parte o até então Cardeal Jorge Bergoglio. Conviveram cerca de 3 semanas, em um encontro oferecido pelo acaso, já que Pe. Alexandre veio à Aparecida a convite do Pe. Joaquin Alliende, que participaria como convidado, por ser assistente espiritual de “Kirche in Not”, uma instituição alemã que muito colabora com a Igreja latino-americana. Ele estaria por perto, “do lado de fora”, para assessorá-lo no que necessitasse. Pe. Joaquin, por motivos de saúde, não pode vir e Pe. Alexandre sem o saber já havia viajado à Aparecida.

Por um acaso, nas vésperas do início da Conferência, precisaram de um tradutor e Pe. Alexandre se dispôs a ajudar. Uns dias depois, quando se formou a Comissão de Redação – formada por oito bispos (entre eles três cardeais) eleitos pela assembleia e responsável pela elaboração do documento final da Conferência, em suas quatro redações consecutivas solicitaram que Pe. Alexandre fosse o secretário desta comissão. Em um artigo seu Pe. Alexandre disse: “foi uma bênção ainda maior, já que ali pulsava o “coração” da assembleia. Senti-me profundamente edificado não só por toda a teologia e todos os assuntos refletidos nesta comissão, mas, sobretudo pelo testemunho pessoal de cada um dos cardeais e bispos ali presentes: uma verdadeira aula de Igreja e de vivência cristã”.

Pe. Alexandre Awi, com sua personalidade doce e simples, curiosamente compatível com a do Papa Francisco, nos deixa satisfeitos, não apenas por ter um brasileiro nesse grupo, mas além disso, um representante da Academia Marial.

Fonte : http://archiv.schoenstatt.de/news2007/06/7t0634pt-bra-aparecida-p-alexandre.php


Outros textos relacionados:

Nossa Senhora e o voo de parapente
Um diálogo inacabado
Nossa Senhora do Santo Rosário, nas Filipinas
Há 84 anos, Nossa Senhora Aparecida era declarada Padroeira do Brasil

FACEBOOK
TWITTER


RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Seu nome

Seu e-mail