A12

Internet: de onde veio e para onde vai?

Enviar por e-mail

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

-

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

A Internet é responsável pela grande revolução do final do século XX e da despedida do 2º Milênio. Foi a fundação de um mundo totalmente novo.

evangelizar_na_internet

Comparada somente a grandes eventos transformadores da História, tais como: a invenção da roda pela Civilização Suméria, há mais de 5000 anos; o surgimento da escrita, também na belíssima Civilização Suméria, provavelmente também há 5000 anos; o aperfeiçoamento da escrita com a criação do alfabeto, há cerca de 4000 anos, proeza dos fenícios; o nascimento e a vida de um galileu, Jesus de Nazaré, que dividiria a História em antes e depois; o aprimoramento da Imprensa por Johannes Gutenberg, na Alemanha do século XVI; a Revolução Industrial na Inglaterra do século XIX; as descobertas mais recentes de diversas áreas das ciências; a Internet faz parte desse seleto grupo de acontecimentos que ressignificou a vida dos seres humanos.

É de se notar que a Internet surge para dar respostas a uma sociedade em guerra. Muitas das invenções dos seres humanos surgiram exatamente num contexto de defesa ou ataque a outros grupos de pessoas. As invenções mais impressionantes da Antiguidade são as armas de guerra, engenhocas criadas para matar ou para se defender. A Internet também era uma estratégia de defesa, quando foi embrionariamente desenvolvida pela ARPANET, em 1969.

Não existia outro fim para a criação desses projetos que não fosse para o uso militar. No entanto, no momento em que o físico britânico Tim Berners-Lee desenvolve o projeto incipiente do que seria hoje a nossa rede mundial de computadores (World Web Wide - WWW), em 1989, as intenções do plano tomam novos rumos. Não mais se quer usar a Internet para a guerra, pois o objetivo, agora, é disponibilizar todo o conhecimento humano produzido para o bem da humanidade.

Dos desejos bélicos à utopia de um mundo igualitário, a Internet consegue uma adesão extremamente gigantesca. O mundo do século XXI e do 3º Milênio já não conseguirá caminhar sem a ajuda dessa bengala. Estaríamos mancos sem essa muleta pós-moderna.

 

O internauta se torna o protagonista na pesquisa. Nada mais é é enfiado 'goela abaixo', porque todos têm a possibilidade de checar as diversas informações que chegam a cada momento.

Hoje, podemos constatar, com orgulho, que o objetivo perseguido pela Internet nos últimos 25 anos tem sido alcançado: democratizar o conhecimento e as informações. O que era monopólio das grandes e tradicionais mídias, ou dos poderosos governos despóticos, torna-se um bem da humanidade. O internauta se torna o protagonista na pesquisa. Nada mais é enfiado “goela abaixo”, porque todos têm a possibilidade de checar as diversas informações que chegam a cada momento.

Por outro lado, de forma célere, o primeiro objetivo bélico da Internet volta à baila. O vírus genético do nascimento beligerante da Internet invade as redes mundiais. Existem ringues macabros em alguns lugares da Web.

O anonimato, a agressividade e a impunidade tornam o ambiente da Rede uma terra de ninguém, fazendo vir à mente as cenas de filmes faroestes americanos. O que é considerado crime no mundo concreto (racismo, xenofobia, perjúrio, calúnia, ameaças) torna-se banalidade no mundo virtual.

Xingamentos de todos os níveis são detectados a todo momento, em todo espaço cibernético. Não há limites para os maníacos e psicopatas anônimos que aterrorizam o ambiente digital, reavivando o clima primordial do nascimento da Internet: perfeito para a guerra.

Os comentários debaixo de cada texto, vídeo ou foto são os novos campos de batalhas, onde tribos se digladiam até a morte da dignidade alheia. Lembrando os antigos combates dos assírios, dos babilônios, dos persas, dos gregos, dos romanos, os comentários são as armas mortais pós-modernas para aniquilar os inimigos desconhecidos, que ousam discordar da nossa suprema e intocável sabedoria.

Depois de tudo isso posto, a pergunta que não quer calar é quando haverá punição para aqueles que promovem chacina verbal na Internet? Deveríamos nos conformar de que a Web está concretizando a ideia de Thomas Hobbes de que ali se tem um espaço de uma guerra de todos contra todos?

Não deveríamos punir os grandes portais, sites e plataformas que permitem a agressão verbal, alegando liberdade de expressão? A minha liberdade vai até aonde começa a liberdade do outro! Estamos nos esquecendo disso?

Enfim, os últimos 25 anos trouxeram um cabedal de conhecimento e reflexão jamais visto em toda a história humana, não podemos permitir que esse vaso de cristal da genialidade humana se arrebente devido ao barro da intolerância que está se formando no seu interior!

A Internet fugiu do seu nascimento infame, de servir ao uso militar, e trilhou um caminho de solidariedade e esperança, de partilha do conhecimento, mas começa a se desviar para uma trilha obscura, que leva diretamente ao abismo dos mais perniciosos sentimentos humanos. Está na hora de lançarmos luz nesse caminho e salvarmos das garras da selvageria uma das maiores revoluções da humanidade nos últimos séculos!

Padre Queimado articulista colunista

Comentários (0)



Carregando Comentários
0 caracteres