A12

Planeta de Deus

Enviar por e-mail

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

Em 1980, a Organização das Nações Unidas (ONU) fundou em Colón, Costa Rica, a Universidade da Paz (University for Peace, na sigla em inglês, UPEACE), com o objetivo de "prover a humanidade com uma instituição de ensino superior para a Paz e com o foco de promover entre todos os seres humanos o espírito de entendimento, tolerância e coexistência pacífica".

A iniciativa partiu de Robert Muller, que se tornou o primeiro reitor dessa universidade. Nove anos depois, Muller foi ganhador do Prêmio Unesco de Educação e Paz, considerado um dos maiores pacifista de nossa época.

Muller pensou numa Nova Gênese, capaz de cuidar dos seres humanos dentro de um Planeta pensando por Deus, em toda a sua plenitude.

Abaixo transcrevemos o discurso de Muller, em torno da criação da UPEACE, que pode ser encontrado em “O Cuidado Necessário”, obra recente de Leonardo Boff.

criação_shutterstock

Foto: Shutterstock

E Deus viu que todas as nações da Terra, negras e brancas, pobres e ricas, do Norte e do Sul, do Oriente e do Ocidente, de todos os credos, enviavam seus emissários a um grande edifício de cristal às margens do Rio do Sol Nascente, na Ilha de Manhattan, para juntos estudarem, juntos pensarem e juntos cuidarem do mundo e de todos os povos.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o primeiro dia da Nova Era da Terra.

E Deus viu que os soldados da paz separavam os combatentes de nações em guerra, que as diferenças eram resolvidas pela negociação e pela razão, e não pelas armas, e que os líderes das nações se encontravam, trocavam ideias e uniam seus corações, suas mentes, suas almas e suas forças para o benefício de toda a humanidade.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o segundo dia do Planeta da Paz.

E Deus viu que os seres humanos amavam a totalidade da criação, as estrelas e o Sol, o dia e a noite, o ar e os oceanos, a terra e as águas, os peixes e as aves, as flores e as plantas e todos os seus irmãos e irmãs humanos.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o terceiro dia do Planeta da Felicidade.

E Deus viu que os seres humanos eliminavam a fome, a doença, a ignorância e o sofrimento em todo o globo, proporcionando a cada pessoa humana uma vida decente, consciente e feliz, reduzindo a avidez, a força e a riqueza de uns poucos.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o quarto dia do Planeta da Justiça.

E Deus viu que os seres humanos viviam em harmonia com seu planeta e em paz com os outros, gerenciando seus recursos com sabedoria, evitando o desperdício, refreando os excessos, substituindo o ódio pelo amor, a avidez pelo contentamento, a arrogância pela humildade, a divisão pela cooperação e a suspeita pela compreensão.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o quinto dia do Planeta de Ouro.

E Deus viu que as nações destruíram suas armas, suas bombas, seus mísseis, seus navios e aviões de guerra, desativando suas bases e desmobilizando seus exércitos, mantendo apenas policiais da paz para proteger os bons dos maus e os normais dos insanos.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o sexto dia do Planeta da Razão.

E Deus viu que os seres humanos restauravam Deus e a pessoa humana como o Alfa e o Ômega, reduzindo instituições, crenças, políticas, governos e todas as entidades humanas a simples servidores de Deus e dos povos. E Deus os viu adotar como lei suprema: “Amarás ao Deus do universo com todo o teu coração, com toda a tua alma, com toda a tua mente e com todas as tuas forças. Amarás teu belo e miraculoso planeta e o tratarás com infinito cuidado. Amarás teus irmãos e irmãs humanos como amas a ti mesmo. Não há mandamentos maiores do que estes”.

E Deus disse: “Isso é bom”.

E esse foi o sétimo dia do Planeta de Deus.

.: Padre Lebret, indiscutivelmente, sempre foi um homem de ação

.:: A íntima relação entre Economia e Teologia

colunista marcus eduardo de oliveira