1.       Das águas do Paraíba à Capelinha do Sá (1717-1723)
A Imagem de Nossa Senhora da Conceição , aparecida da rede, foi guardada por Felipe Pedroso em sua casa nas margens do Ribeirão do Sá (proximidades da atual Praça Kennedy). Todas as noites as famílias vizinhas se reúnem , diante do humilde e tosco altarzinho  e rezando  saúdam a Mãe de Deus: “Ave, cheia de graça, bendita entre as mulheres...”
Representação imaginada de como, supostamente, tinha sido a primeira capelinha erguida a NSA, nas proximidades do Porto Itaguaçu, por volta de 1740.

2.       Do ribeirão do Sá para a ponte alta (1723-1732)
Felipe Pedroso mudou-se com a família para Ponte Alta, levando a imagem. Ali elevou um novo altar para a Senhora Aparecida. Mais famílias se juntam à de Felipe Pedroso para cantar e rezar: Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores...”

3.       Da Ponte Alta para a Capela de Itaguaçu (1732-1745)
O número de devotos aumentara muito. A casa era pequena. Felipe Pedroso, no seu espírito de fé e desapego, resolve entregar a Imagem à veneração dos devotos. Organiza uma procissão levando  a Imagem para o Porto de Itaguaçu, onde seu filho Atanásio construíra um Oratório. Aos sábados a Capelinha se enchia de devotos para a reza do terço. Foi numa dessas que as velas se apagaram de repente. Quando alguém quis acendê-las novamente, por si mesmas elas se acenderam. A notícia deste sinal se espalhou rapidamente. O número de fiéis aumentou ainda mais. Era preciso construir uma igreja para a Senhora Aparecida.

4.       Do Porto de Itaguaçu ao Morro dos Coqueiros (1745-1982)


Capela da Conceição Aparecida (Morro dos Coqueiros) Inaugurada em 26 de Julho de 1745, pelo Pe. José Alves Vilella
A devoção a Nossa Senhora Aparecida se espalhara por toda a região de São Paulo e Minas. Os devotos recorrem ao vigário que autoriza a construção da igreja, no alto do “Morro dos Coqueiros”. A 26 de julho de 1745 o padre José Alves Vilella inaugura o novo templo. Moradores do Sá, da Ponte Alta e do Porto Itaguaçu alegre e festivamente trazem a Imagem e a entregam para ser colocada em seu novo altar. Antes, a Imagem lhes pertencia, agora pertencerá a todo o Brasil. Durante 237 anos, a Senhora Aparecida abençoou esta cidade e todo o Brasil do trono de graça da sua Basílica.


A Capela depois de reformada e ampliada(1760). Reprodução de uma aquarela de Thomas Ender em 1817

5.       Da Igreja Matriz para a Basílica Santuário
Desde 1955, os devotos de Nossa Senhora Aparecida estão colocando, dia por dia, uma pedra para construir uma igreja digna de sua Rainha e Mãe. Cada tijolo oculta uma história, cada história fala de uma alma que encontrou a fé e a paz junto da Senhora Aparecida. Agora a igreja está pronta para receber a pequenina Imagem. Com o mesmo espírito de fé e generosidade de seus antepassados o povo de Aparecida vai entronizar a Imagem da Senhora Aparecida no altar da imensa Basílica que a fé e piedade de todo um povo elevou na “Terra da Padroeira”. Lá os aparecidenses e os peregrinos continuarão a cantar os louvores da Mãe de Deus e nossa. Lá os arcos, as abóbadas e as colunas cantarão, noite e dia, o amor do nosso povo a sua excelsa Rainha e Padroeira.​


CDM/Santuário Nacional