Por Pe. Evaldo César de Souza, C.Ss.R. - Jornal Santuário Em Artigos Atualizada em 14 SET 2018 - 10H10

O que a Igreja nos ensina sobre redes de relacionamento pessoal?


shutterstock
shutterstock

Queridos leitores, tudo em paz com vocês? Vamos falar então sobre comunicação e relacionamentos virtuais. Não há relacionamentos sem comunicação, ou seja, se não houvesse comunicação entre os homens, viveríamos sempre em total solidão e silêncio. A Igreja abraça as novas tecnologias e entende que elas são essenciais para que o Evangelho seja proclamado. Mesmo assim, é bom nos atentarmos sobre as redes sociais e os sites de relacionamentos.

Leia MaisInimigos da IgrejaQuando o assunto são relacionamentos amorosos, a infinidade desses sites é ainda mais relevante. Visitados diariamente por milhares de jovens, essas páginas revolucionam o modo de entender as ligações humanas no século XXI. Se, por um lado, esses sites de relacionamento aproximam as pessoas, criam laços de amizade, reforçam a comunicação, de outro, o universo virtual é um mundo ainda desconhecido e perigoso para os mais incautos.

Na mesma proporção em que existem benesses em se estar ligado instantaneamente com as pessoas ao redor do mundo, existem os perigos advindos de pessoas de má-fé, que utilizam desses instrumentos para invadir privacidades, ameaçar a integridade moral dos usuários e praticar crimes e golpes pelos meios eletrônicos. Não é o caso de ser extremamente medroso ou contrário a esse tipo de comunicação, mesmo porque não é mais possível voltar atrás nessas conquistas tecnológicas, mas sim de ter critérios e juízo, o que é sempre bom.

Não é o caso aqui de expor regras para bom uso desses meios, mas algumas coisas são óbvias:

1. Nunca exponha ações de seu cotidiano, nem intimidades de sua vida familiar;
2. Evite colocar fotos íntimas nesses espaços;
3. Nunca publique endereços ou telefones;
4. Não confie, em primeira mão, em pessoas desconhecidas;
5. Nunca acredite em tudo o que vê escrito;
6. Nunca use imagens de crianças e adolescentes.

Em uma terra ainda sem regras muito claras como é a Internet, é muito bom manter “um olho no peixe e outro no gato". Essas orientações são ainda mais necessárias para os jovens, usuários principais desses meios, pois entre adolescentes o desejo de exposição é muito maior e atitudes inconsequentes no meio virtual podem interferir no sossego de toda a família.

É isso!

Escrito por
Padre Evaldo César Souza, C.Ss.R, diretoria da Fundação Nossa Senhora Aparecida (FNSA) (TV Aparecida)
Pe. Evaldo César de Souza, C.Ss.R. - Jornal Santuário

Redentorista, membro da Província de São Paulo, graduado em Filosofia, Teologia e Jornalismo e pós-graduado em Gestão Executiva de Televisão (FAAP). Escreve para a Editora Santuário e para a editoria 'Santuários'.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.