Por André Somensari Em Notícias

Dom Orlando fala sobre os 10 anos da V Conferência de Aparecida

V CELAM - Vera de Souza - Arquivo JS

Foto: Vera de Souza (Arquivo JS)

Este ano comemoramos 10 anos de um acontecimento marcante para a Igreja no Brasil, em especial para o Santuário Nacional de Aparecida. Em 2007, de 13 a 31 de maio, foi realizada, na Casa da Mãe Aparecida, a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho (V CELAM), que contou com a presença do Papa Bento XVI (atual Papa Emérito) e de cerca de 300 bispos do continente.

O grande objetivo da V Conferência foi aprofundar e fazer acontecer entre nós o Concílio Vaticano II. O desafio fundamental consistiu em despertar e formar discípulos missionários que comuniquem a experiência do encontro vivo com Jesus Cristo, transbordando de gratidão e alegria.

Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, participou da V Conferência. Na época, atuou como delegado dos Bispos de Santa Catarina, na qualidade de Bispo Diocesano de Joinville.

A V Conferência se propôs a propiciar um encantamento por Jesus, a redescobrir a beleza e a alegria de ser cristão e a transformar nossa Igreja em uma ‘Igreja de atração’. Conhecer Jesus é nossa alegria, seguir Jesus é uma graça, transmitir Jesus é um tesouro (DAp n. 18)”, disse dom Orlando.

:: Receba o Jornal Santuário em casa

O encontro dos bispos latino-americanos e caribenhos resultou no histórico texto conclusivo chamado de Documento de Aparecida.

Uma Igreja de cristãos discípulos missionários deve estar a serviço da vida. Por isso, o Documento de Aparecida estende a mão, oferece luz, esperança, coragem e ternura a todos. O Reino de Deus é o reino da vida. Jesus trouxe-nos vida em plenitude. Há em Aparecida uma opção pela vida. Um fato comovente, relatado no Documento de Aparecida, refere-se aos peregrinos e devotos de Nossa Senhora e ao Santuário Nacional. Atestam os Bispos: sentimo-nos acompanhados pela oração de nosso povo católico, representado, visivelmente, pela companhia do Pastor e dos fiéis da Igreja de Deus em Aparecida e pela multidão de peregrinos de todo o Brasil e de outros países da América ao Santuário, que nos edificaram e evangelizaram (DAp n.3)”, afirmou o arcebispo.

Um fato especial da V Conferência foi a participação do cardeal de Buenos Aires na época, Jorge Mario Bergoglio, que, seis anos depois, se tornou Papa Francisco. Dom Orlando comentou a participação de Bergoglio no Celam e no Documento de Aparecida. “Ele foi o presidente da Comissão de Redação do Documento. Coube ao cardeal Bergoglio a maior e mais difícil tarefa. Grande parte do sucesso do Documento de Aparecida deve-se a ele e à Comissão de Redação. Quem o lê logo percebe a unção, a sabedoria, a fé, a alma e o coração do Papa Francisco. O que ali está escrito nos comove e move, arrebata e encoraja, anima e fortalece. A luz do Espírito Santo e a doçura de Maria perpassam cada página do Documento.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por André Somensari , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.