Por André Somensari Em Notícias Atualizada em 24 MAI 2018 - 09H12

Editora Santuário lança livro sobre história da devoção a Nossa Senhora Aparecida

A Editora Santuário acaba de lançar neste mês de maio o livro “Mãe Aparecida no Brasil: História, Devoção e Missão”, do missionário redentorista Ir. José Mauro Maciel

Na obra, Irmão Maciel faz um levantamento histórico dos 300 anos de devoção a Nossa Senhora Aparecida em nosso país, oferecendo dados históricos, religiosos e devocionais, que compõem o cenário eclesial católico, a partir da Devoção à Mãe de Deus. Na obra, destacam-se os capítulos dedicados à descrição do diário de viagem do Governador Pedro de Almeida à região do Vale do Paraíba, em 1717, motivo principal pesca milagrosa, em que foi encontrada a Imagem da Padroeira por três pescadores. Segundo o autor “a História da Devoção a Nossa Senhora Aparecida se confunde com a História do Povo Brasileiro, porque ela pontilha no decorrer dos tempos esse vértice de identificação com nossa real brasilidade”. O JS conversou com Ir. Maciel, que deu detalhes sobre “Mãe Aparecida no Brasil: História, Devoção e Missão”:

Jornal Santuário - O senhor faz um apanhado dos 300 anos de fé e devoção do povo brasileiro a Nossa Senhora Aparecida. O que motivou o senhor a escrever uma obra sobre esse assunto?



Irmão José Mauro Maciel – Este livro, cuja publicação só foi possível este ano, é a soma de um desejo meu e o pedido do Pe. Valdivino Guimarães, na época diretor da Academia Marial de Aparecida, em novembro de 2015. A obra segue os caminhos indicados pela História. São experiências de fé continuadas pela Doutrina Católica. A saber, toda devoção sadia tem uma missão a cumprir na Comunidade Igreja.

Jornal Santuário - Durante esses 300 anos de devoção a Nossa Senhora Aparecida, quais foram os acontecimentos históricos que, em sua opinião, contribuíram para a popularização da devoção à Padroeira?

Leia MaisMissa lança Livro da Novena e Festa da Padroeira Relação do homem com a imagem é tema de livroDom Orlando Brandes lança livro sobre AparecidaIr. Maciel – Nesses 300 anos de devoção a Nossa Senhora Aparecida, há alguns fatos mais marcantes que podemos pontuá-los, como, por exemplo, o episódio do encontro da imagenzinha, depois de uma noite sem sucesso, com tensão dos pescadores, foi retirado o corpo e a cabeça, em lugares diferentes, em uma rede de arrastão, o que nos mostra algumas coincidências inéditas. A meu ver, esse foi o primeiro milagre de Nossa Senhora. Também a pesca milagrosa naquela madrugada, possivelmente, de 17 de outubro de 1717 é outro fato marcante, pois a “Câmara Local” havia intimado os muitos pescadores a suprir as necessidades do almoço da Comitiva e dos acompanhantes. apenas João Alves, Domingos Garcia e Felipe Pedroso entraram para a História. Naquela época, na Região de Guaratinguetá, faltavam alimentos, honestidades, dignidades e justiça social. Havia muita violência! Portanto, a Mãe de Deus e nossa deixou-se ser encontrada, por meio de uma pequena imagem, onde a classe menos favorecida, os ribeirinhos (índios, negros e mestiços), passava por grandes sofrimentos e carências diversas, inclusive de alimentos. Posteriormente, na primeira fase do Império Brasileiro, a partir da “Criação dos Municípios” (1º de outubro de 1828), houve acirramentos maiores com as Leis Municipais, por meio das quais se impunham maiores punições e maus-tratos aos escravos. Aumentaram também os preconceitos com relação aos pobres livres, forros e mestiços, até o final do Império. Na década de 1930, o Brasil passava por situação delicada, social e religiosamente, por isso a “Aclamação” de Nossa Senhora como Rainha e Padroeira foi um grito de súplica da Sociedade Brasileira. Assim, poderemos enredar outros fatos que pontilham Nossa Senhora, que caminha conosco, construindo a História da Nação Brasileira.

Os fatos ligados à imagenzinha de Aparecida são detalhes experenciados pelos devotos. Essa identificação dos devotos com a Mãe, que socorre suas necessidades, ajuda a sedimentar cada vez essa aproximação, que eu diria ser uma dimensão afetiva da fé. Dos devotos Nossa Senhora toma as feições, o rosto!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por André Somensari , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.