Por Da redação Em Notícias

Santo Afonso: um homem para nosso tempo!

Santo Afonso - Mídias Redentoristas

Imagem: Reprodução

Santo Afonso Maria de Ligório (*1696 – †1787) tem gravada sua marca pessoal e carismática nos últimos 300 anos da história da Igreja. Sua contribuição teológica, pastoral, espiritual segue produzindo frutos em todas as dimensões da vida cristã e eclesial de nossos dias. Nesta data (1º/08), em que a Igreja celebra sua passagem deste mundo para o reino dos bem-aventurados, convém fazer uma breve memória de Santo Afonso, Fundador da Congregação do Santíssimo Redentor, C.Ss.R., Doutor da Igreja, Padroeiro dos Moralistas e Confessores e apaixonado devoto de Nossa Senhora.

Aos 16 anos, Afonso, de família nobre de Nápoles, Itália, já era advogado e iniciava o sucesso profissional nos tribunais. Porém, decepcionado, abandonou a profissão, despediu-se da família e foi para o seminário, tornando-se padre diocesano. Seu apostolado tinha um foco bem definido: anunciar Jesus Cristo aos mais abandonados, especialmente aos pobres. Com esse propósito, fundou a Congregação do Santíssimo Redentor, formada por padres e irmãos que se dedicam, desde aquele tempo até hoje, a anunciar o evangelho aos mais abandonados, especialmente aos pobres. A Congregação Redentorista representa um dos mais importantes legados de Santo Afonso à Igreja e, hoje, conta com cerca de 5.000 membros enviados em missão por mais de 80 países.

:: Receba o Jornal Santuário em casa

Nos intervalos de missões e retiros, Santo Afonso se dedicava, incansavelmente, ao estudo e à escrita. Escreveu mais de 110 obras, buscando popularizar os ensinamentos da Igreja e da Bíblia. Mas seu grande trabalho intelectual foi na área da Teologia Moral. Escreveu um grande tratado de Moral, para ajudar os padres e professores na orientação dos fiéis. Defendeu, com profunda argumentação, o primado da consciência: esta deve ser respeitada e bem formada, porque, em última análise, cada pessoa responde perante Deus a partir de sua consciência. Sua Teologia moral não é nem laxista (cada um faz o que quer), nem rigorista (baseada na dureza da lei), mas a moral da benignidade: Deus é um Pai bom e misericordioso no julgamento.

A profundidade de sua Teologia Moral deu a Santo Afonso o insigne título de Doutor da Igreja e de Padroeiro dos Moralistas e Confessores. Ainda hoje os missionários redentoristas, como genuínos filhos de Santo Afonso, continuam estudando e ensinando Teologia Moral, um ensino desafiador, porque se debruça sobre os problemas e as angústias do homem moderno, buscando as melhores respostas a partir da fé, do evangelho e das sãs tradições cristãs.

Santo Afonso distingue-se, ainda, pela profundidade espiritual e ascética. Foi homem de constante oração, de muitas penitências e de profundo amor a Jesus Cristo. Entre suas obras de espiritualidade, destacam-se a “A Prática do Amor a Jesus Cristo” e a oração como “O grande Meio de Salvação”. Maria, a Mãe de Misericórdia, modelo de vida do cristão e dispensadora de todas as graças, foi a companheira inseparável de Afonso, objeto de suas mais emocionadas orações e tema de um de seus livros mais lidos: “Glórias de Maria”. Por suas obras e seu testemunho, Santo Afonso continua inspirando o povo de Deus ainda nos tempos atuais.

Padre Edezio, C.Ss.R. 
Mídias Redentoristas

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Da redação, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.