A12

Projetos contra enchentes estão parados há mais de 30 anos no Rio Grande do Sul

Enviar por e-mail

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

-

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

Chuvas enchentes, alagamento, Rio Grande do Sul_foto: EBC Agência Brasil

Com mais de 100 cidades em situação de emergência após os últimos temporais, entre maio e junho deste ano, o Rio Grande do Sul vive um cenário que se repete anualmente, de enchentes e alagamentos.

Projetos para a contenção das águas existem, mas custam caro. Alguns estão parados há mais de 30 anos por falta de dinheiro, problemas de projetos e falta de respostas aos pedidos.

Cidades banhadas pelo Rio Uruguai, na Fronteira Oeste, ou pelo Caí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, estão entre as que decretaram situação de emergência nos últimos anos, por prejuízos, e têm projetos que poderiam minimizar esta situação, mas eles não saem do papel.

Até a capital gaúcha passou a sofrer consequências de alagamentos nos dias de chuva enquanto as casas de bombas, que deveriam amenizar a situação, operam de forma precária. Em Porto Alegre, foram incluídas no Plano de Saneamento Básico obras de macrodrenagem orçadas em R$ 3 bilhões.

Para as cidades mais afetadas pelas cheias do Rio Caí, foi elaborado em 2014 um projeto que prevê a construção de diques e corta-rios, orçado em R$ 200 milhões.

Plantão RCR_destaque Rádio Aparecida_Jornal Brasil Hoje_nota:: Mais notícias 

A polícia trata como terrorismo o atropelamento que terminou com uma pessoa morta e dez feridas perto de uma mesquita em Finsbury Park, no norte de Londres, na madrugada desta segunda-feira (19). O motorista foi contido pela população e preso pela polícia.

motorista jogou o carro sobre fiéis que deixavam uma mesquita à 0h20 (horário local, 20h20 de domingo em Brasília). Durante o Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, os fiéis jejuam do alvorecer até o anoitecer e costumam rezar até a madrugada.

Um homem que já recebia atendimento no local antes do atropelamento morreu e a polícia ainda não sabe dizer se a morte foi provocada pelo choque com a van.

Dos dez feridos, dois foram atendidos no local com ferimentos leves e oito foram hospitalizados. Dois estão internados em estado grave, segundo a polícia. Todas as vítimas são muçulmanas.

 


Comentários (0)



Carregando Comentários
0 caracteres