Por Beatriz Nery Em Notícias Atualizada em 30 AGO 2018 - 17H44

Modernização na adoção colocará criança como protagonista


Neste ano, o cadastro nacional de adoção completa 10 anos e passará por mudanças. A modernização deve facilitar a adoção de crianças e adolescentes que aguardam por uma família em instituições de acolhimentos em todo o Brasil.

A mudança será em novo formato: ele coloca a criança como principal sujeito no processo de adoção, já que vai permitir que ela busque a família e não o contrário. A juíza auxiliar da correge
Leia Mais Adoção Tardia: Quando o vazio é preenchidoFamília: perdas, adoção e a família que escolhemosPreconceito trava adoção de crianças no paísEspecial "Adoção no Brasil"doria Sandra Silvestre Torres detalhou quais são as principais mudanças no cadastro.

“A primeira coisa que muda é que o cadastro agora passa a ser um sistema que inclui as crianças e adolescentes numa mesma base de dados, tanto de quem está no cadastro nacional de adoção como quem está no cadastro de acolhimento”.

Hoje a busca no processo de adoção é feita manualmente. Com a implantação do sistema de acordo com as escolhas da criança, haverá uma varredura automática durante um longo período até ocorrer o “match”, ou seja, a similaridade entre família e criança. “Não só para essa criança que tem um perfil básico de que todo mundo quer, como essa outra criança ou adolescente que tem maior dificuldade”, afirma a juíza.

Entenda por que o processo de adoção é longo:

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Beatriz Nery, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.