Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 25 OUT 2018 - 14H02

Mulheres sofrem com falta de saneamento básico

Meninas chegam a ter notas menores no ENEM

Shutterstock
Shutterstock

Uma em cada 4 mulheres brasileiras não tem acesso adequado a água tratada, coleta e tratamento de esgoto, o que corresponde a 27 milhões de mulheres. Para análise dessa realidade, o Instituto Trata Brasil, em parceria com a BRK Ambiental, se reuniu para estudar mulheres na mesma faixa etária e mesmo perfil: as que tem acesso a água e esgoto e as que não tem, para observar os impactos da falta de saneamento.

Foi observado que a universalização dos serviços de água e esgoto tiraria imediatamente 635 mil mulheres da pobreza, pois a falta de serviços interfere em indicadores de saúde, renda, bem-estar e educação.

Segundo Edson Carlos, presidente do Instituto Trata Brasil, “comparando uma jovem que mora em área sem saneamento com uma outra jovem, na mesma faixa etária, do mesmo bairro que mora, em uma área onde convive com esgoto e, portanto, sem os impactos da falta de saneamento, essa primeira menina chega a tirar 46 pontos a menos no ENEM em relação àquela que mora numa área que não tem esse problema”.

Atualmente, apenas cerca de 44% do esgoto produzido no Brasil é tratado. Ouça:

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.