Por Beatriz Nery Em Notícias

Uso de células tronco pode melhorar 30% as lesões na medula

Shutterstock
Shutterstock

Pesquisa de duas universidades de São Paulo dão esperança a pessoas que sofreram acidentes que causaram problemas na medula espinhal, gerando paraplegia e tetraplegia. O tratamento, que atualmente não existe, viria das células tronco retiradas do próprio paciente.

O estudo que está sendo feito no Instituto de Biologia da Unicamp em parceria com o Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da Unesp iniciou há três anos pretende conseguir por volta de 30% a mais de sobrevivência neuronal com a terapia celular no período critico pós-lesão.

O professor Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira, diretor do instituto de biologia, fala dos resultados e planejamentos do estudo:

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Beatriz Nery, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.