Por Elisangela Cavalheiro Em Assembleia Geral CNBB

Bispos aprovam dois documentos e indicam diretrizes para eleições 2014

Ao encerrar a 52ª Assembleia Geral da CNBB nesta sexta-feira, 9 de maio, em Aparecida (SP) os bispos entregaram dois novos documentos e apresentaram indicações pastorais em vista das eleições de 2014. O primeiro documento entregue contempla o Tema Central do encontro deste ano que versou sobre a renovação das paróquias e o segundo trata a questão agrária no país. O primeiro ocupou duas assembleias para ser aprovado, o segundo desde 2009 estava sendo organizado. A respeito das eleições de 2014, os bispos apresentaram o projeto ‘Pensando o Brasil: desafios diante das eleições 2014’, onde convocam os cidadãos a se prepararem conscientemente para o momento da eleição.

Encerramento 52 AG CNBB 2014 (Foto Felipe Guimarães)

Documento sobre o Tema Central

O documento ‘Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia’ encontrou neste ano o campo favorável para ser aprovado. Depois de duas edições, colaboração de dioceses e acréscimos, o documento chegará às Igrejas particulares do Brasil para fomentar uma Igreja missionária seguindo o apelo de toda a Igreja e especialmente do Papa Francisco, como fez questão de lembrar o arcebispo de Aparecida na sessão de encerramento da assembleia. “Que nossa Igreja seja de fato como deseja o Papa Francisco, uma Igreja em saída, uma Igreja verdadeiramente missionária”, disse.

Encerramento 52 AG CNBB 2014 (Foto Felipe Guimarães)Documento sobre a Questão Agrária

O documento ‘A Igreja e a Questão Agrária Brasileira no início do século XXI’ destaca a realidade do país e as questões que envolvem a terra, traz uma análise dos bispos a respeito dos problemas que afligem as comunidades que enfrentam esse grave problema e por último, apresenta os desafios diante de realidades bem específicas. O documento deverá ser apresentado ao poder público para que este saiba a posição da Igreja em relação a esses desafios.

Projeto para as eleições de 2014

O tema que ocupou grande parte da coletiva foi a iniciativa da Igreja do Brasil para as eleições de outubro. Para o episcopado brasileiro é dever de todo cidadão a escolha de seus representantes e para os fiéis católicos tal escolha deve ser iluminada pela fé e amor cristãos. O Projeto dedica-se ainda a contribuir para que os eleitores possam votar conscientemente e participar efetivamente em vista do bem da coletividade. A mobilização com a Lei da Ficha Limpa recorda o quanto é importante a participação dos cidadãos, destacaram os bispos em texto divulgado na coletiva de imprensa. 

Sobre a proposta desse projeto ouça o presidente da CNBB durante a coletiva:

 

Íntegra do discurso de Dom Raymundo Damasceno na sessão de encerramento:  

O episcopado brasileiro também aprofundou o tema prioritário sobre o texto 'Os cristãos leigos e leigas', que analisa a atuação dos cristãos na Igreja e no mundo, diante dos desafios e mudanças na vida em sociedade. Este tema voltará na Assembleia Geral do próximo ano. 

A Assembleia Geral também aprovou, por unanimidade, a realização do Ano da Paz. O ano terá início no primeiro domingo do Advento (30 de novembro de 2014) e vai até o Natal de 2015. 

Cerca de 350 bispos de todo o país participaram da 52ª Assembleia Geral da CNBB. Foram 10 dias de intensa reflexão e esforço dos bispos para aprofundar temáticas de relevância para todas as dioceses brasileiras. 

Veja a cobertura completa da 52ª AG do A12 em www.a12.com/noticias

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
rubens jose soares comentou:

fico muito feliz em saber que a igreja católica esta se manisfestando a respeito da politica desse pais. se os nossos políticos focem realmente cristão o brasil não estaria tão pobre ate hoje onde só existe privilegio para os políticos corruptos desse pais. Louvado seja nosso senhor jesus cristo.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Assembleia Geral CNBB

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.