Por Redação A12 Em Evangelhos Atualizada em 06 SET 2017 - 08H56

Evangelho em Libras - 23º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Reflexão: Pe. Luiz Camilo Jr - C.Ss.R

Interprete: Kiara Maria Socuta Quintanilha

Evangelho Deus Conosco dia a dia – Editora Santuário

(Mt 18,15-20)

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão. Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas.

Se ele não vos der ouvido, dize-o à igreja. Se nem mesmo à igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um pecador público.

Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.

De novo, eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu pai que está nos céus. Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!

Reflexão

A palavra de Deus nos dá respostas para os dilemas e conflitos que vivemos na comunidade e aponta caminhos para superá-los. É preciso que haja amor em nosso coração, pois somente o amor é capaz de superar as dificuldades, curar as feridas e recuperar a fraternidade nas relações.

Vivemos em sociedade e em comunidades, e essa vivência e convivência nos conferem responsabilidades. Somos responsáveis pela vida dos outros e devemos cuidar uns dos outros.

Diante dos conflitos que surgem nas convivências, quando faltam esse cuidado e esse amor para com o próximo, criando divisões e destruindo a comunhão, então o evangelho deste domingo traz um caminho que deve ser percorrido para resolver essas situações. No evangelho Jesus propõe o diálogo e a correção fraterna, que geram o perdão e a possibilidade de recomeçar.

No evangelho são propostos três passos. O primeiro consiste em, primeiramente, conversar com a pessoa que errou ou que nos magoou. Quando percebemos uma atitude errada, ou que tenha nos ferido, devemos procurar a pessoa e, a sós com ela, abrir o coração e dizer o que sentimos em relação a sua atitude. Falar com ela não no sentido de culpá-la, mas de ajudá-la.

Porém se essa tentativa não funcionar, não podemos desistir. Há outras medidas igualmente importantes que podem ser tomadas. O evangelho recomenda que sejam convidadas mais duas ou três pessoas, para, juntos, tentar solucionar o problema.

Mas se mesmo assim não for possível solucionar o problema, então é hora de trazê-lo para a comunidade, para que a questão seja resolvida e a pessoa seja reintegrada na comunidade. Esse terceiro procedimento não é para expor a pessoa, mas sim para que toda a comunidade possa ajudá-la. Se mesmo assim ela for resistente e não quiser corrigir sua falha, então o problema passa a ser somente dela. Ela não será excluída da comunidade, mas estará se excluindo por conta própria.

Deus se faz presente no meio da comunidade que se reúne para solucionar os seus problemas e celebrar a vida. Uma comunidade que se reúne em seu nome e com o propósito de viver seus ensinamentos que são de amor. Assim teremos comunidades verdadeiramente cristãs, comunidades que transformam o mundo e são lugares onde o reino de deus floresce.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Evangelhos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.