A12

O Redentorista é chamado a ser voz dos sem voz e nem vez

Enviar por e-mail

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

-

Preencha todos os campos adequadamente.

Enviando...

Ocorreu um erro no envio:

A comunicação sempre esteve presente na Igreja Católica desde seus primórdios. Este sistema vivo, formado por pessoas que professam sua fé em Jesus Cristo ressuscitado, tem como elemento principal a fé e esta deve ser comunicada.

irmao redentorista

A comunicação é o eixo que articula a vivência da fé em Cristo e busca repassá-la além-fronteiras (presença da C.Ss.R. em mais de 80 países), encarando outras culturas, a fim de anunciar o Evangelho. O próprio cristianismo em sua origem foi formado pelas culturas hebraica, helênica e latina, que impulsionaram e provocaram a Igreja a se relacionar com outros povos e com outros modos de viver. A cada nova primavera ela vive e passa por um novo processo, que a interpela a procurar meios para dar resposta ao mesmo tempo, com desejo de corresponder à necessidade temporal. Isto são os sinais dos tempos e dos fatos sagrados.

É sempre bom recordarmos que a fé é estática, mas o modo como somos chamados a vivê-la e anunciá-la é dinâmico, desafiando-nos a todo o momento como nos recorda a Const. 10: “Os Redentoristas têm na Igreja, como sua principal missão, a proclamação explícita da Palavra de Deus para a conversão fundamental”.

Para o cristianismo a comunicação é imprescindível, pelo fato de não se prender somente a uma determinada etnia, a um determinado povo, mas a se espalhar por todo universo.

O núcleo fundamental do cristianismo é o anuncio de Deus Pai que se comunicou à humanidade através de seu Filho Redentor. Depois, Jesus convocou os doze discípulos e fez uma recomendação que hoje nós, filhos diletos de Santo Afonso, procuramos colocar em prática: “Ide pelo mundo inteiro e proclamai o Evangelho a todo criatura!” (Mc 16, 15).

A Congregação Redentorista é chamada a ser voz que norteia e clareia a vida das pessoas que estão perdidas devido a tantas vozes pífias que sussurram aos seus ouvidos. Lembra-nos a Const. 28 que somos ministros, servidores da revelação do mistério de Cristo Redentor. E, ainda, recorda como somos e como devemos anunciar a Boa Nova de Jesus: “Seguindo contentes a Cristo Salvador, participam de seu mistério e anunciam-no com evangélica simplicidade de vida e de linguagem, pela abnegação de si mesmos, pela disponibilidade constante para as coisas mais difíceis, a fim de levar aos homens a copiosa redenção” (Const. 20).


Comentários (0)



Carregando Comentários
0 caracteres