Por Padre João Pedro Fernandes, C.Ss.R Em Redentoristas

Conheça o trabalho da Missão Redentorista em Angola

Embora a Vice Província de Luanda (Angola) tenha um número reduzido de confrades e não tenha, por agora, uma equipe de missões populares, começou, no ano 2000, a oferecer esse serviço pastoral às igrejas locais do país. Cada ano, os Redentoristas realizam uma missão popular, respondendo aos pedidos de paróquias de diversas partes do país (1.200.000 km2).

Missão Redentorista em Angola, Lobito_foto: Missionários Redentoristas

O Secretariado de Evangelização e Espiritualidade coordena esse setor. Responde aos pedidos, faz os contatos preliminares no terreno, e acompanha a primeira fase da missão (levantamento da realidade sócio-religiosa da paróquia, divisão do território em setores e identificação dos líderes nos setores) – tudo isso em estreita colaboração com o pároco e forças vivas da paróquia.

Em seguida, inicia a segunda fase, muito importante no processo da missão: um mês de oração e evangelização casa a casa, nos setores (cada setor compreende umas 30 famílias), animada pela liderança identificada previamente nos setores.

:: Padre Magalhães conta sua experiência como missionário na Angola

Para a terceira fase – a da pregação missionária (7 a 10 dias), chegam os missionários: sacerdotes e leigos missionários redentoristas. A eles se juntam os sacerdotes da paróquia local; há diversos anos, um sacerdote secular da diocese de Huambo (onde o nosso confrade Dom José de Queirós Alves é arcebispo) tem se incorporado no grupo missionário.

Os confrades redentoristas que tomam parte da 3ª fase se disponibilizam das diversas comunidades, respondendo a uma convocação para o efeito.

Trabalho intercongregacional

Em junho de 2017, aconteceu a terceira fase das Santas Missões na paróquia da Santíssima Trindade, na cidade portuária do Lobito, o porto mais importante do país, no distrito de Compão e arredores. A população da área é de 8.500 habitantes, dos quais cerca de 7.400 são católicos.

Éramos 10 redentoristas, 4 sacerdotes seculares, 3 Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, 3 Irmãs Vicentinas e 2 Irmãs de Santa Catarina de Sena (congregação autóctone). Todas as Irmãs estão envolvidas pastoralmente na Paróquia. Participaram também duas leigas consagradas Vicentinas e duas leigas missionárias redentoristas.

Um momento muito marcante foi a procissão luminosa na sexta-feira à noite, que, das 9 comunidades, confluiu para a matriz, uma experiência que habitualmente toca muito a gente, visto o clima que se cria; houve ainda um sermão forte, sobre o tema “vós sois a luz do mundo”, e concluiu-se com a consagração a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Missão Redentorista em Angola, Lobito_foto: Missionários Redentoristas

Outro momento forte foi a “procissão” de barcas, com a imagem de Maria, ao longo de um trecho da costa. Uma parte da população da área vive da pesca, e os pescadores que tomaram parte na “procissão” manifestaram sua grande comoção, pois era a primeira vez que uma atividade pastoral os envolvia diretamente; eles e seus familiares se sentiram particularmente abençoados.

A Eucaristia de encerramento da missão, terminada com a implantação de um enorme cruzeiro, foi presidida pelo bispo diocesano, que conferiu a crisma a 111 jovens e adultos. 

 

"Foi uma grande oportunidade de testemunho da própria fé e de ajudar a suscitar a fé nos outros".

Padre Albino Segunda, pároco da Santíssima Trindade, disse que a experiência da missão apresentou uma renovação da fé.

“Foi uma experiência nova e de grande empenho. Trouxe um sopro novo que nos provoca. Fez-nos ir ao encontro dos ‘afastados’, e estes se sentiram interpelados. Foi uma grande oportunidade de testemunho da própria fé e de ajudar a suscitar a fé nos outros. A terceira fase, celebrativa, deixou marcas nos corações e nas comunidades. Todo o processo da missão fez que a gente se envolvesse mais na vida eclesial. A fase seguinte – da consolidação das comunidades – apresenta-se como um grande desafio. Entre outras coisas, devemos repensar algumas dinâmicas e estruturas da pastoral juvenil”, disse.

3 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Custodio Costa comentou:

Pretendo ser um padre redentorista, o que devi fazer ? sou jovem naascido em 1971 sou formad no Curso Superior de Direito. Vivo em Viana Landa Angola

respondeu:

Olá Custódio, é possível ser um missionário também de forma leiga. Sendo atuante em sua comunidade você estará contribuindo muito para a construção do mundo que Jesus imaginou. Você pode fazer muito por sua comunidade e pelo seu povo! Fique com Deus!

Mateus Agostinho LUPULA comentou:

Muito obrigado Pe. João Pedro pelo artigo.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre João Pedro Fernandes, C.Ss.R, em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.