Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 08 FEV 2018 - 12H06

Jovem acolhido em obra social redentorista é promessa para futsal brasileiro

Arquivo CAS.
Arquivo CAS.
O jovem Titi com o monitor Rafael Garcia do Projeto Pequenos Campeões.

Do Parque Peruche para Sorocaba, a trajetória do garoto que é promessa no futuro do futsal brasileiro.

Matheus Luccas do Nascimento Silva, 18 anos, conhecido nas quadras como “Titi”, morador do Parque Peruche, na capital paulista, começou sua trajetória no Centro de Assistência Social Santo Afonso  em 2015.

Na época ele integrou um projeto que acabava de nascer em parceria com a Casa da Criança Santa Olímpia, o projeto "Pequenos Campeões - Futsal do Centro de Assistência Social Santo Afonso"

Este trabalho teve início em 2014, atendendo inúmeras solicitações dos beneficiários. Timidamente, o projeto acolheu 32 crianças com idade entre 06 e 15 anos no primeiro ano, e já no final do ano passado, eram mais de 200 crianças que buscavam nessa iniciativa um momento de aprendizado nesse esporte, mas também um espaço para sonhar e ter esperanças. 

Muitos desses garotos que passaram pelo projeto, foram indicados e estão atuando em times de futsal, entre eles, o jovem Titi. 

Titi mora com seus pais e mais quatro irmãos, e lembra que no início a família queria que ele jogasse futebol de campo, mas quando explicou que seu sonho estava no futsal, todos compreenderam e hoje estão satisfeitos com a decisão.

O monitor Rafael Garcia, colaborador do CAS Santo Afonso, conta como conheceu o jovem e o incentivou a entrar no projeto. 

“Todo começo de ano, marcávamos amistosos regionais, para divulgar o projeto e trazer mais garotos para o time, jogamos contra o time dos Meninos do Morro da Casa Verde, e vi o Titi atuando como goleiro, uma espécie de goleiro linha muito bom, fora do comum. A primeira coisa que fiz quando acabou o jogo foi ir conversar com ele e falar sobre o projeto. Ele gostou e na semana seguinte já estava treinando com o time do CAS", recorda. 

"Me lembro muito bem do seu primeiro treino (risos), chegou de calça de goleiro, tímido. Fiz alguns jogos pedagógicos com ele atuando na linha, já vi que era um garoto diferenciado. Quando foi a hora de dividir os times para o coletivo, o coloquei na linha, ele não entendeu muito bem, e em menos de dez minutos, liguei para um ex-treinador e amigo, Fabio Britto, o Fabinho ex-jogador da Seleção Brasileira de Futsal, que na época era técnico de futsal do Círculo militar, e lhe disse, tenho uma joia para você”, conta o monitor. 

A vida do jovem começou a mudar a partir daquele dia. Titi passou pelo time do Círculo Militar durante dois anos, e em 2016 foi parar na Portuguesa de Desportos, sendo o capitão do time e camisa dez. "Em todos os jogos era elogiado por quem o assistia, despertando interesses de grandes clubes", destaca Garcia. 

No final do ano passado, veio a concretização de mais uma etapa de sucesso na vida do jovem jogador. "No dia 29 de dezembro de 2017, ele assinou o contratado para jogar no Magnus Futsal, juntamente com o rei das quadras e seu ídolo Falcão", celebra o monitor. 

Arquivo CAS.
Arquivo CAS.
Titi no dia que assinou contrato com o Magnus Futsal.

Rafael também teve sua trajetória no esporte. Precoce, ele iniciou com apenas três anos de idade, e passou por clubes de futsal e futebol de campo, como Portuguesa de Desportos, São Paulo Futebol Clube, Sociedade Esportiva Palmeiras, Sport Clube Corinthians Paulista, dentre outros, e parou de jogar com dezessete anos. Mas seu amor pelo esporte sempre o acompanhou. 

Aos 19 anos, começou a trabalhar no Centro de Assistência Social Santo Afonso, onde atuava como monitor no projeto de inclusão digital. Mas já no ano de 2014, teve a oportunidade de iniciar com muita dedicação o Projeto Pequenos Campeões, vivendo seu sonho através de tantos jovens que passam pelo CAS.  

“Professor Rafael é um cara excelente, era meu professor, eu focava nos treinos dele, fazia tudo o que me pedia. Agradeço muito a ele, porque sem ele eu não estaria aqui”, diz Titi a respeito da importância da relação com o professor neste processo.

Para ele a nova fase é um contentamento de novas realizações, incluindo a satisfação de estar perto de seus ídolos do esporte. “Estou com muita expectativa e ansioso, pela grandeza do Magnus, e por atuar junto com o Falcão, meu ídolo, não só ele, mas também o Leandro Lino, o Marcel, não vejo a hora”. 

Arquivo CAS.
Arquivo CAS.
Beneficiários do Time de Futsal.

Fonte: CAS Santo Afonso.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.