Antonio Losito

Nasceu em Canossa aos 16.12.1838. Nasce órfão, pois o pai foi esmagado por um barril de vinho. Tinha apenas 38 anos. Pais: Antonio Losito e Celeste Russo (Morre 10 anos depois). Foi criado pela ao. Morre-lhe também a avó.

Encontra-se com o clérigo Loyodice de Corato. Decidiu-se ao ver o jovem (grande fundador e províncias e servo de Deus). Aos 17 anos pede a entrada, em bom latim. Aprovado pelos consultores gerais. Entra para o noviciado 24.11.1855. Faz a profissão no dia 24.10.56. Faz teologia em Materdomini (Escritura, Moral e Santos padres). No relatório está escrito: “Losito tem saúde boa, é forte e prudente. Virtuoso e com tendência ao escrúpulo”. Fica bom tempo em casa para curar-se. Foi ordenado dia 19.03.1862. Havia muitos estudantes e poucos paramentos. Ficou para o outro domingo, mas foi ordenado dia 5 de abril, com dispensa de 8 meses e 20 dias. Faz da vida um dom para os outros.

Neste período são supressas todas as casas religiosas pelos anticlericais. Em 1861 foram ameaçados de serem fusilados acusados de acolher bandidos. No Natal são expulsos e ficam somente dois padres para cuidar da casa: Tramontano e Losito. Depois fica Tramontano e Losito é expulso. Vai para sua casa em Canossa onde fica 20 anos. Manteve a vida religiosa. O povo acorria a ele. Distribui o que tem em casa. Sua espiritualidade está fundada no Santissimo Sacramento, Maria e Menino Jesus.

Em 1886 volta para a Congregação. Vai a Pagani onde vive em uma casa particular. De 1887 - 1907 é prefeito dos estudantes em Pagani. Tinha grande interesse em que os estudantes pudessem conhecer os outros ritos. Por isso aproveitava para que pudessem conhecer e participar dos ritos caldeu e armênio. Introduziu o jogo de bochas. O castigo de quem perdia era cantar uma Salve Rainha. Era duro nas chamadas que fazia aos estudantes. De uma feita mandou embora 7 estudantes que mantinham correspondência secreta.

De 1907 a 1909 foi reitor de Pagani. Tinha 60 anos. Consegue a declaração da Igreja como Basílica Pontifícia. Tem grande cuidado com os pobres. De 1909 a 1912 foi provincial. Cuida do Santuário de S. Geraldo. Amava as tradições populares.

Foi diretor espiritual de Bartolo Longo de quem apóia a obra no Santuário de N.S. Rosário de Pompéia. Através da direção espiritual tem contato com tantas pessoas ilustres. Prega a bispos. Escreveu ao Rei da Espanha. É amigo dos cardeais. Um Cardeal amigo apresenta-o ao Papa. Estabelece com ele grande amizade. A porta está sempre aberta para o senhor, lhe diz o Papa Pio X. Consegue muitos benefícios. Mandava laranjas do jardim de Santo Afonso. O Papa lhe escrevia. Nos 50 anos o Cardeal Van Rossum vai festeja-lo com um cálice presenteado pelo Papa Bento XV que quis conhece-lo. Ajuda a Cidade de Canossa nas dificuldades.

Sofre de 1870 a 1890 de um tremor que lhe impedia de celebrar. Tem câncer na bexiga. Morre dia 18.07.1917 às 9,15. Foi exumado 27.10.1920. Canossa o quis entre eles.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.