Por Thamara Gomes Em Notícias Atualizada em 14 JUN 2018 - 11H34

Rola a bola, começa o jogo

Estamos no início da Copa do Mundo 2018. O torneio, que acontece na Rússia, reúne os melhores jogadores de futebol do mundo. E, você sabia que esporte e vocação têm muitas características em comum? Se falarmos em perseverança, sonho, dom e entrega, você pensaria em futebol ou vocação?

Vamos descobrir juntos algumas semelhanças!

arquivo pessoal
arquivo pessoal

No futebol e nos esportes em geral, o caminho para se tornar um atleta profissional é longo. Começa desde cedo, ainda criança ou jovem, com muita dedicação e treinamentos intensos, muitas vezes longe da família. Uma rotina diferente da maioria dos adolescentes e jovens.

A caminhada vocacional daqueles que desejam dedicar sua vida a Deus e aos irmãos, como padres ou religiosos, também é longa e intensa. São muitos anos de formação, nos conventos e seminários, até que o vocacionado alcance esse sonho.

:: A tática para chegar ao Céu

Sem contar que a maioria desses jovens, tanto no futebol quanto na vida religiosa ou sacerdotal, ficam pelo caminho. Por motivos diferentes, é claro! A vida formativa é uma experiência, uma oportunidade para que moças e rapazes entendam verdadeiramente qual a sua vocação, sua missão nesse mundo e na Igreja. Os seminários e conventos formam muito mais do que padres, religiosos ou religiosas, formam homens e mulheres capazes de se integrar na comunidade, de liderar pastorais, de levar a Boa Nova de Cristo ao mundo, às famílias e à sociedade. Muitos só compreendem sua vocação ao longo da caminhada formativa.

Já no futebol, o funil é estreito e muitos daqueles que sonhavam em jogar uma Copa do Mundo se veem obrigados a desistir no meio do percurso, por contusões ou outras dificuldades, ou acabam em times menores e com salários bem mais baixos do que os dos grandes jogadores.

:: Esportistas deixam objetos de promessas em Aparecida

Outra característica comum entre futebol e vocação é a perseverança. A história mais comum no meio do futebol é a do menino pobre que vê no esporte de alto nível uma maneira de ajudar a família e que, em busca deste grande sonho, deixa tudo para trás: estudo, casa, amigos. E só depois de batalhar muito consegue um lugar ao sol no mundo da bola.

Muitos são os desafios também durante o discernimento vocacional. Apenas para citar alguns, lembramos que os valores da sociedade atual afastam as pessoas de Deus, a vida em comunidade também é um aprendizado constante, e existem ainda todos os conflitos internos e pessoais que aparecem ao longo da caminhada.

Ao final dessa trajetória, o que todo mundo quer mesmo é ser feliz na vocação que escolheu, colocando em prática os dons recebidos de Deus!


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Thamara Gomes, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.