Por Academia Marial Em Títulos de Nossa Senhora Atualizada em 03 MAI 2019 - 14H42

Ícone de Nossa Senhora da Ternura ou do Doce Beijo

Shutterstock
Shutterstock

A imagem de Nossa Senhora da Ternura ou Nossa Senhora do Doce Beijo trata de um ícone da escola cretense do século XVII. A Virgem da Ternura era um tipo de ícone que tinha uma popularidade especial nos Bálcãs, nas regiões gregas e ítalo-bizantinas.

Salta aos olhos as expressões de carícias dos dois rostos. Sensibiliza-nos, especialmente, a disposição das mãos: a do Menino Jesus está apoiada num confiante abandono sobre a mão direita da Mãe, enquanto que Ela, com a sua mão esquerda, o segura e, ao mesmo tempo, parece acariciá-lo. O vermelho é delicado e muito claro em relação aos demais ícones: a escola cretense acolhia elementos derivados da pintura retratística ocidental.

As vestes – feitio, coloridos, pregas – são as tradicionais: o ‘mafórion’ da Santíssima Virgem é cereja-escuro sobre a veste azulada com mangas bordadas. Jesus se veste como adulto e tem os pezinhos descalços. A mãozinha direita, apoiada sobre o joelho, aperta o rolo da Escritura e os traços do rosto mostram ser verdadeiro menino.

A auréola em torno da cabeça da Mãe de Deus delimita uma parte do fundo dourado escuro, e vem tipicamente trabalhada sobre o fundo, preparado com gesso antes da pintura (sempre necessário para ser um verdadeiro ícone). Nele foram incisos pequenos buraquinhos redondos ligados ao desenho, os quais depois da douração de fundo mantêm um efeito visível.

Este ícone da Virgem da Ternura mede 49×64 cm e pertence ao Pontifício Colégio Grego de Roma

Shutterstock
Shutterstock

Os Ícones

Os ícones participam na beleza da oração. Eles são como janelas que se abrem às realidades do Reino de Deus e as tornam presentes na nossa oração sobre a terra. Eles são um apelo à nossa própria transfiguração.

Apesar de o ícone ser uma imagem, não é uma ilustração pura, nem decoração. É sinal da encarnação, é presença que oferece aos olhos a mensagem espiritual que a Palavra dirige aos ouvidos.

O fundamento dos ícones é, segundo São João Damasceno (século VIII), a vinda de Cristo à Terra. A salvação está ligada à encarnação do Verbo Divino e, por consequência, à matéria:

«Deus, que não tem corpo nem figura, não podia outrora, de maneira nenhuma, ser representado por qualquer imagem. Mas agora, que Deus permitiu ser visto em carne e viver no meio dos homens, eu posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus. Eu não adoro a matéria, mas sim o Criador da matéria, que se tornou matéria por minha causa, que quis habitar a matéria e que, através da matéria, me deu a salvação.»

Pela fé que transmite, pela sua beleza e profundidade, o ícone pode abrir um espaço de paz, reavivar uma espera. Ele convida a acolher o mistério da salvação na nossa humanidade e em toda a criação.

Que Nossa Senhora, a Mãe da Ternura, o único ser que ‘abraça Aquele que todo o Universo não pode conter’, conforme disse Santo Éfrem, desperte em nossos corações sentimentos de bondade e ternura para com todos. Amém!

(Fonte: Irmã Maria Donadeo, em ‘Ícones da Mãe de Deus’, Ed. Paulinas, 1997, pp. 144-147.)

ORAÇÃO

Ó Virgem gloriosa e bendita, Mãe da Ternura!
Renova em nossos corações
a constante vontade de seguir teu Divino Filho. 

Por tua intercessão,
permite-nos sentir a presença de Deus em nossas vidas.
Torna-nos observadores
atentos a todos os cenários com os quais nos deparamos,
em todas as coisas, em todas as pessoas.

Dá-nos a graça de sentir a presença de Deus
na simplicidade, incessantemente, na abrangência de tudo,
e livra-nos da presença do inimigo e das suas tentações.

Que Deus reine em nossos corações
e que sua Divina presença seja
constantemente sentida por nós em nossas vidas.
  
Amém.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Títulos de Nossa Senhora

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.