Por Rádio Aparecida Em Notícias Atualizada em 10 DEZ 2019 - 13H49

Após polêmicas, Brasil participa da COP 25 em busca de recursos para proteção ambiental

Leandro Nery Coradini/ Shutterstock
Leandro Nery Coradini/ Shutterstock


Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

🔊Acompanhe o 'Notícias em 30' às 7h (1ª edição) e às 17h30 (2ª edição)

A Organização das Nações Unidas (ONU) abriu na última segunda-feira, a cúpula do clima de duas semanas em Madri, a COP 25. São mais de 200 países participantes, e cerca de 29 mil pessoas participando do maior evento de preservação do meio ambiente do mundo. E a pressão, principalmente de jovens ativistas espalhados pelo mundo é grande. Os desafios são muitos para as lideranças mundiais. O ambientalista Fábio Feldman avalia que dentre os destaques é a ausência dos EUA no evento.

Além disso, o principal desafio da COP 25 é acelerar o combate às mudanças climáticas. Feldman destaca que a emissão de gases do efeito estufa continuam subindo. O ambientalista Fábio Feldman avaliou a participação brasileira no COP 25. Ele disse que desde 92, o País tem tido um papel de protagonismos nessas reuniões, mas que esse ano, mediante ao discurso do atual governo sobre o tema, pode diminuir a importância brasileira no evento.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está na reunião do clima justamente para tentar minimizar essa imagem negativa, e ainda pleiteando verba para preservação da Amazônia. O especialista Fábio Feldman avalia que o governo pode usar a preservação da Amazônia como moeda de troca, em uma espécie de chantagem, como ele mesmo classificou.

O COP 25 vai até o 13 de dezembro com o slogan "Hora da Ação". 


Câmara promulga lei que transforma agentes penitenciários em polícia penal



Ouça a reportagem ou, se preferir, leia:

🔊Acompanhe o 'Notícias em 30' às 7h (1ª edição) e às 17h30 (2ª edição)

A Câmara dos Deputados publicou durante sessão solene a emenda constitucional que autoriza a criação da polícia penal brasileira. A partir de agora agentes penitenciários de todo o país passa a ser reconhecidos como policiais penais e a ação dentro dos presídios fica na mão desses profissionais.

A transformação será feita em cargos isolados como também em cargos de carreira do sistema penitenciário como explicou deputado federal Coronel Tadeu do PSL de São Paulo.

🔊 Gostou do conteúdo? Compartilhe com os amigos!
Na parte superior da página (logo abaixo do título) clique no botão do WhatsApp ou das demais redes sociais

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Rádio Aparecida, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.