Por Polyana Gonzaga Em Assembleia Geral CNBB

Nova presidência da CNBB faz balanço das atividades da Assembleia Geral

O arcebispo de Brasília (DF) e presidente eleito da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Sérgio da Rocha e o bispo auxiliar de Brasília (DF), reeleito secretário geral, dom Leonardo Urich Steiner atenderam aos jornalistas nesta sexta-feira (24), último dia da 53ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil.

ultima_coletiva_53agcnbb_1

Após a cerimônia de posse da Nova Presidência da CNBB e do novo Conselho Episcopal Pastoral e encerrando a 53ª Assembleia Geral, os bispos fizeram um balanço dos dez dias de atividades em Aparecida (SP). Dom Sérgio da Rocha comentou que, após estudos e muitas reflexões, foram atualizadas as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) para o próximo quadriênio 2015-2019.

“A Assembleia Geral é um espaço de comunhão e participação dos bispos na vida da Igreja. Momento de diálogo, reflexão e busca de diretrizes comuns”, afirmou o novo presidente da Conferência.

Foto de: Ivan Simas/A12.com 

ultima_coletiva_53agcnbb_2

Para dom Sérgio da Rocha, os dias de Assembleia em
Aparecida foram momentos de profunda comunhão
entre os bispos do Brasil.

Na ocasião, dom Sérgio destacou as mensagens aprovadas durante da Assembleia: “Mensagem de solidariedade aos cristãos perseguidos e ao povo armênio no centenário do genocídio”, o texto “Pensando o Brasil: A desigualdade social no Brasil – Os pobres são juízes da vida democrática de uma nação”, “Mensagem às Pessoas da Vida Consagrada”.

Durante a Assembleia, foi aprovada a “Nota da CNBB sobre o momento nacional”, lida pelo secretário geral, dom Leonardo Urich Steiner. Leia aqui a nota na íntegra.

Respondendo às perguntas dos jornalistas, Dom Sergio reforçou que é dever da CNBB fazer pronunciamentos sobre as questões sociais que afligem o Brasil e que a conferência não assume posição política partidária.

“É dever da CNBB se pronunciar sobre as questões sociais do país. A palavra da Igreja é profética e sempre fundamentada na Palavra de Deus. Não temos e não queremos adotar nenhuma posição politico-partidária. Fazemos isso no sentimento de coparticipação na sociedade”, completou.

Dom Leonardo Steiner ainda comentou que é de praxe que a nova presidência da Conferência seja recebida pelo Papa, momento onde apresentam o resultado das reflexões da Assembleia Geral.

Foto de: Ivan Simas/A12.com

ultima_coletiva_53agcnbb_3

Dom Leonardo leus as mensagens aprovadas durante a
Assembleia Geral.

“É praxe a nova presidência ter uma audiência com Presidente da República. Isso sempre foi feito. É uma visita para colocar as preocupações da CNBB”, finalizou dom Leonardo, ressaltando que ainda não há datas previstas para as audiências.

Durante os dias da Assembleia, o episcopado brasileiro também aprofundou o tema prioritário sobre o texto “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade”, e agora caberá ao Conselho Permanente a aprovação do texto e encaminhamentos dos trabalhos.  

Bispos de todo o país participaram da 53ª Assembleia Geral da CNBB. Foram 10 dias de intensa reflexão e esforço para aprofundar temáticas de relevância para todas as dioceses brasileiras. 

Veja a cobertura completa da 53ª AG no A12 aqui.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Assembleia Geral CNBB

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.