Por Redação A12 Em Espiritualidade

Quaresma: tempo de conversão para o serviço aos irmãos

Na quarta-feira de cinzas, a Igreja iniciou o Tempo da Quaresma e, aqui no Brasil, tem início a Campanha da Fraternidade. A Quaresma é um tempo de penitência e de reflexão sobre a necessidade de conversão que todos nós, cristãos e cristãs, temos para nos conformarmos mais e mais a Jesus Cristo, o Bom Pastor, Ele que veio para servir e não para ser servido (cf. Mc 10,45).

 

oração

Quaresma: 'Tempo de penitência e de reflexxão sobre a
necessidade de conversão.

É um tempo de preparar os corações para a grande celebração da Páscoa do Senhor, Ressurreição de Cristo e esperança da nossa ressurreição.

Na mensagem para a Quaresma, o Papa Francisco afirmou que este tempo favorável de graça, “é um tempo propício para nos deixarmos servir por Cristo e, deste modo, tornarmo-nos como Ele. O cristão é aquele que permite a Deus revesti-lo da sua bondade e misericórdia, revesti-lo de Cristo para se tornar, como Ele, servo de Deus e dos homens” (PAPA FRANCISCO. Mensagem para a Quaresma de 2015).

Neste ensinamento do Papa latino-americano, nosso Pontífice, encontramos refletido o objetivo da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema: “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e como lema: “Eu vim para servir (cf. Mc 10,45)”.

No objetivo geral da Campanha da Fraternidade, encontramos expresso o sentido profundo da vida da Igreja e de todo cristão: “Aprofundar, à luz do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a sociedade, propostos pelo Concílio Vaticano II, como serviço ao povo brasileiro, para a edificação do Reino de Deus”.

No serviço aos homens e às mulheres encontramos expresso para a sociedade o sentido de nossa missão. Assim como Jesus, somos enviados a proclamar o Reino de Deus que consiste, não em estruturas ou objetos, mas na mensagem de libertação para toda a criação de Deus.

A Igreja, comunidade dos seguidores de Jesus a serviço da sociedade, é chamada a proclamar ao mundo a esperança e a vitória da graça de Deus que nunca abandona o ser humano.

Seremos verdadeiramente cristãos e cristãs se fizermos da experiência da fé, do discipulado e da missão não um entretenimento ou uma ponte para o nosso enriquecimento material ou exercício de poder, nem na busca dos próprios interesses mas, como bem nos ensina o Concílio Vaticano II, na Constituição pastoralGaudium et spes, no reconhecimento de que “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens e mulheres de hoje, sobretudo dos pobres e de todos os aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo (CONCÍLIO VATICANO II. Constituição pastoral sobre a Igreja no mundo de hoje, Gaudium et spes, 1).

Vivamos, pois, com confiança este tempo quaresmal, participemos das reflexões da Campanha da Fraternidade e rezemos para que todos os membros da Igreja estejam “abertos e disponíveis para todos, para que possamos partilhar as dores e as angústias, as alegrias e as esperanças, e andar juntos no caminho do Reino de Deus” (MISSAL ROMANO.Oração eucarística VI – D).

 

 

Dom Jaime Vieira Rocha Arcebispo Metropolitano de Natal

 

 

Dom Jaime Vieira Rocha

Arcebispo Metropolitano de Natal

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.