Por Pe. Antônio Queiroz, C.Ss.R Em Histórias de Vida

A luz do candeeiro

Certa vez, a Madre Teresa de Calcutá foi visitar um velhinho no seu barraco. Tudo em desordem lá dentro. O morador vivia sozinho, triste e revoltado. Por isso a Irmã foi recebida com frieza.

Ela disse:

- Eu já vou, mas permita que eu dê uma arrumada na sua casa.

Ele disse que não permitia. Ela foi agradando-o, depois pegou uma vassoura e começou a varrer o mais grosso da sujeira. Depois de um tempo, o velho mudou de ideia e permitiu que ela varresse todo o seu barraco.

Ao varrer, ela descobriu um candeeiro todo coberto de pó. Disse a ele:

- Para que ficar no escuro, se você tem um candeeiro?

- Por que acender, se não vem ninguém aqui?

- Mas se vier uma freira, você acende?

- Sim.

Daí para frente ela, ou uma colega, ia lá visitá-lo e ele acendia o candeeiro.

Um dia, Madre Teresa recebeu um bilhete dizendo:

- A luz que você acendeu na minha casa continua acesa no meu coração.

Os necessitados precisam mais do nosso carinho do que de esmolas. Eles querem a nossa presença para apoiá-los na luta da vida. “Eu estava na prisão e me visitastes” (Mt 25,36).

Escrito por
Padre Antônio Queiróz dos Santos (Pe. Antônio Queiroz, C.Ss.R)
Pe. Antônio Queiroz, C.Ss.R

Mais conhecido como Padre Queiróz (in memoriam) recolheu ao longo de seu ministério centenas de histórias que falam de forma simples e popular da fé e das realidades do povo de Deus.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Queiróz, C.Ss.R., em Histórias de Vida

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.