Por Redação A12 Em Igreja

CNBB recebe organizadores de ato contra a reforma da Previdência


CNBB/Maurício Sant’Ana
CNBB/Maurício Sant’Ana

O Arcebispo de Brasília (DF) e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Sergio da Rocha, recebeu na manhã da terça-feira, 12 de dezembro, representantes de movimentos populares envolvidos nas mobilizações contra a Reforma da Previdência. O grupo de camponeses e de membros de Comissões de Justiça e Paz apresentou a iniciativa de mobilização e conscientização marcada pela greve de fome que acontece há nove dias no Anexo 2 da Câmara dos Deputados.

O grupo de apoio da mobilização, formado por integrantes de movimentos populares de camponeses, foi recebido pelo presidente da CNBB em audiência que contou com a presença dos assessores das Comissões Episcopais Pastorais para a Ação Social Transformadora e para o Laicato. Dom Sergio priorizou ouvir o que os representantes tinham a dizer. A atitude foi descrita pelos presentes como gesto humano, solidário e, sobretudo, de pastor.

Representantes de movimentos indicaram na conversa que a Proposta de Emenda à Constituição 287/2016, pretende impor condições que impossibilitariam a aposentadoria para os camponeses e camponesas, indígenas e quilombolas: “As barreirais impostas fariam com que a gente perdesse esse direito [de se aposentar]”, disse Bruno Pilon, do Movimentos de Pequenos Agricultores.

Fazem greve de fome há nove dias: frei Sérgio Görgen, frade franciscano; Josi Costa e Leila Denise, membros do Movimento de Pequenos Agricultores. Outros grupos também tomaram a atitude em Sergipe, no Rio Grande do Sul e no Espírito Santo, além de mais quatro pessoas que aderiram à ação em Brasília.

Temendo represálias por parte da Polícia Legislativa, que de acordo com os representantes tem dado sinais que pode retirar os manifestantes à força do local em que se encontram, foi solicitada uma visita aos mesmos e uma conversa com o presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia.

O cardeal Sergio da Rocha ressaltou a importância do diálogo, tanto da Igreja com a sociedade, de maneira especial com os movimentos populares, quanto desses movimentos com o poder público em vista de promover a paz. Sobre o papel da Igreja no contexto das reformas conduzidas pelos poderes Executivo e Legislativo, o presidente da CNBB salientou que as mesmas têm “implicações grandes na vida do nosso povo” e que a Igreja deseja sempre defender os direitos da população, especialmente dos que estão mais fragilizados.

“Nós não temos a pretensão de resolver diretamente questões sociais, pois os problemas, além de serem complexos, não estão no âmbito da Conferência Episcopal, ou propriamente da Igreja, depende muito mais de inciativas dos três poderes da República. Nós queremos continuar a favorecer o diálogo e sobretudo a promover a paz”, afirmou Dom Sérgio, lembrando da insistência para que as manifestações sempre ocorram de forma pacífica.

Fonte: CNBB

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.