Por Redação A12 Em Igreja

Coleta da Sexta-feira Santa: dar esperança aos irmãos do Oriente Médio

“Neste Ano Jubilar somos, mais do que nunca, exortados a demonstrar a nossa misericórdia e proximidade para com os nossos irmãos do Oriente Médio”: esta é a exortação contida na mensagem para a Coleta da Sexta-feira Santa, divulgada pela Congregação para as Igrejas Orientais.

Campo de Kawargosk, em Erbil, no Curdistão iraquiano, que abriga milhares de refugiados sírios.

Infinita violência

“Sexta-feira Santa é o dia em que parece que o mal venceu, pois o Inocente sofreu a morte na cruz. É um dia que parece não conhecer ocaso na Terra Santa, que continua a viver tempos de infinita violência. Se o olhar se alargasse a todo o mundo, seria ainda difícil ver ali a esperança de um futuro sereno”, lê-se na mensagem, assinada pelo Prefeito da Congregação, Card. Leonardo Sandri.

No texto, afirma-se que os cristãos são “devedores” daqueles que partiram da Terra Santa para levarem a fé a todo o mundo e “devedores para com aqueles que ali ficaram, apesar dos conflitos que sempre os martirizaram, testemunhando a fé”.

“Esta Terra apela à nossa caridade, desde sempre, e hoje com maior urgência. Cada pessoa que lá vive e trabalha, precisa da nossa oração e da nossa ajuda concreta, para ser alentada no empenho de aliviar as feridas continuando, com esperança, o compromisso de fazer vencer a justiça e de trabalhar pela paz.”

Dever de ajudar

Neste Ano Jubilar – prossegue a mensagem – somos, mais do que nunca, exortados a demonstrar a nossa misericórdia e proximidade para com os nossos irmãos do Oriente Médio: refugiados, evacuados, idosos, crianças e doentes.

“Nesta terra do Oriente, mata-se, morre-se, se é raptado, vive-se na angústia pelos que nos são caros, sofre-se quando a família é desmembrada pela emigração e pelo êxodo. Vive-se nas trevas e no medo do abandono, da solidão e da incompreensão. São tempos de prova e de desafios, é tempo de martírio. Tudo isto se repercute no dever de ajudar.”

A Coleta

A Coleta da Sexta-feira Santa é regulamentada por disposições pontifícias específicas. O dinheiro arrecadado é utilizado para vários fins e confiado a algumas instituições, como a Custódia Franciscana, encarregada da manutenção dos Santuários nos Locais Sagrados e de estruturas pastorais, educativas, assistenciais, de saúde e sociais.

Uma contribuição anual é destinada ainda à Assembleia dos Ordinários Católicos da Terra Santa para a missão indispensável de coordenação e promoção da presença eclesial. Outras comunidades eclesiais católicas, seja latinas, seja orientais, também recebem parte da Coleta, assim como famílias religiosas masculinas e femininas.

Os territórios contemplados com a Coleta da Sexta-feira Santa são: Jerusalém, Palestina e Israel; Jordânia, Chipre, Síria, Líbano, Egito, Etiópia e Eritréia, Turquia, Irã e Iraque.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.