Por Valquíria Vieira Em Igreja

Coordenador da Pastoral do Menor fala da campanha "Dê Oportunidade"

A Pastoral do Menor (Pamen) lançou com a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) uma campanha que visa discutir e apontar soluções para os problemas sociais que sofrem os jovens menores.

Intitulada “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator”, a Pastoral do Menor leva à sociedade um outro olhar sobre o adolescente que cometeu ato infracional.

Campanha_Pastoral-Menor de oportunidade

Segundo André Franzini, coordenador da Pamen Nacional, essa é uma segunda vez que o tema “Dê oportunidade” é proposto como discussão, já que em 2010/2011 a CNBB levantou essa temática em torno da maioridade penal.

:: Dia Nacional da Pastoral do Menor é celebrado pela primeira vez
:: Confira mais notícias da Igreja

“Nessa segunda campanha a ideia é fazer com que todos discutam sobre isso, mas de uma forma mais aprofundada. Todo o material que elaboramos para a campanha se dirige a propor que as pessoas, a comunidade a sociedade, os órgãos de atendimento discutam essa problemática com menos ‘sangue quente’. O nosso material propõe discussões, depois temos uma cartilha de histórias de medidas socioeducativas que deram certo e ainda temos uma cartilha de bolso com medidas práticas para o jovem”, conta.

 

"A campanha com certeza terá um fruto final que não será só da mobilização, mas terá alguma incidência do ponto de vista de proposta talvez legislativa, ou novas políticas públicas que possam atender esse público". 

A campanha foi lançada nacionalmente no dia 05 de setembro, nos próximos meses será lançada em todos os estados brasileiros e no primeiro semestre de 2017 acontece a efetivação da campanha nos estados e municípios. Para André a campanha deve resultar em propostas e construção de possibilidades para os jovens.

“A campanha com certeza terá um fruto final que não será só da mobilização, mas terá alguma incidência do ponto de vista de proposta talvez legislativa, ou novas políticas públicas que possam atender esse público. Eu quero dizer que estamos no momento de construção dessas possibilidades e creio que no primeiro semestre do ano que vem tenhamos de forma mais concreta esse resultado”, colocou.

O aumento do número de adolescentes no ato infracional, além de outros motivos, é um dos dados que levou a Pastoral do Menor a trazer novamente a discussão de dar oportunidade aos jovens, trabalhando na prevenção e garantindo-lhes direitos fundamentais.

:: A Igreja e a discussão sobre a redução da maioridade penal

“Com certeza a potencialização dos adolescentes que comentem ato infracional, vem da falta de prevenção, vem em muitos casos da negação dos direitos fundamentais que levam eles a se envolver em tráfego, inclusive a roubar. Os dados indicam que o ato infracional, a maior parte dele, é realizado para fins patrimoniais, então com certeza a prevenção é o caminho para resolver essa grande questão social da atualidade”, apontou André.

A Pastoral do Menor trabalha em 16 regionais da CNBB alcançando todas as regiões do Brasil e a Campanha “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator” será trabalhada em todas as áreas de atuação da Pamen . 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Valquíria Vieira, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.