Por Pe. André Gustavo de Sousa Em Igreja

Espiritualidade conjugal e familiar

Nesse mês quero dirigir uma palavra aos casais e às famílias: a família, espaço sagrado do amor e da vida está a serviço da edificação do Reino de Deus. É a Igreja doméstica. Como temos vivido nossa vocação ao amor, em família? Como anda a espiritualidade conjugal? Como o sacramento do Matrimônio é vivido nos gestos, palavras e atos específicos de amor?

 

Sagrada Família

A família cristã edifica o Reino na história, a partir do amor conjugal vivido na totalidade, na unidade, fidelidade e fecundidade. Participa, assim, na missão profética, real e sacerdotal de Jesus Cristo e da sua Igreja.

A família cristã é testemunha da aliança pascal de Cristo, sobretudo no serviço da evangelização e catequese dos filhos, como missionários do amor e da vida. A igreja doméstica é sinal luminoso da presença de Cristo. A família cristã é chamada a santificar-se e a santificar o mundo. Isso requer uma autêntica e profunda espiritualidade conjugal e familiar.

Na Eucaristia a família encontra o fundamento e a alma da sua comunhão e da sua missão; na Reconciliação é reconstruída e aperfeiçoada a aliança conjugal e a comunhão familiar. Na oração familiar (feita em comum, a partir da própria vida) encontra-se a força para viver a missão de Igreja doméstica. Importante salientar a missão dos pais de educar os filhos para a oração, de conduzi-los ao mistério de Deus e ao amor ao próximo. Oração é parte constitutiva essencial da vida cristã.

O guia e a norma para o casal e a família cristã é o Espírito Santo, que grava nos corações o dom do amor. Sustentada pelo mandamento do amor a família vive dignamente sua vocação e sua missão, colocando-se a serviço da humanidade e do mundo.

A vida conjugal em Cristo (alimentada pela Eucaristia e Palavra), o diálogo, a oração em casal, são espaços do testemunho do casamento cristão no mundo atual, marcado por valores que contrariam os projetos de Deus para seus filhos e filhas.

O testemunho será serviço aos outros, a perseverança no amor, na Igreja, pouco a pouco irá contagiar tantos casais, jovens, adultos, para que encontrem no sacramento do matrimônio a fonte da vida e da salvação. O matrimônio é fonte de amor, de felicidade, santidade, é sagrado.

O testemunho será sempre a maior referência, por isso devem perseverar na imitação de Cristo, no modo de ser casal, ser pai, ser mãe, ser família, ser fiel à Igreja, vencendo as ondas do egoísmo, do hedonismo, do materialismo, do consumismo, de relativismo, que devastam nosso mundo. O casal e a família cristã edifica a “casa sobre a rocha”, resiste às tempestades.

Nossas relações interpessoais devem ser regidas pelo mandamento do amor, a exemplo de Cristo, carregadas de misericórdia, de solidariedade. O amor é comunhão, é partilha. O matrimônio é caminho de amor, de felicidade e de santidade. Cabe, pois aos casais e famílias serem testemunhas do amor à maneira de Cristo.

Não se esqueça: “O futuro da humanidade passa pela família!” (João Paulo II)

Colunista Padre André Gustavo

 

 

Escrito por
Assinatura pequena André Gustavo Colunista.png
Pe. André Gustavo de Sousa

Sacerdote da Arquidiocese de Aparecida (SP) , coordenador de Pastoral e Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Guaratinguetá (SP).

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.