Por Pe. André Gustavo de Sousa Em Igreja

Espiritualidade conjugal e familiar

Nesse mês quero dirigir uma palavra aos casais e às famílias: a família, espaço sagrado do amor e da vida está a serviço da edificação do Reino de Deus. É a Igreja doméstica. Como temos vivido nossa vocação ao amor, em família? Como anda a espiritualidade conjugal? Como o sacramento do Matrimônio é vivido nos gestos, palavras e atos específicos de amor?

 

Sagrada Família

A família cristã edifica o Reino na história, a partir do amor conjugal vivido na totalidade, na unidade, fidelidade e fecundidade. Participa, assim, na missão profética, real e sacerdotal de Jesus Cristo e da sua Igreja.

A família cristã é testemunha da aliança pascal de Cristo, sobretudo no serviço da evangelização e catequese dos filhos, como missionários do amor e da vida. A igreja doméstica é sinal luminoso da presença de Cristo. A família cristã é chamada a santificar-se e a santificar o mundo. Isso requer uma autêntica e profunda espiritualidade conjugal e familiar.

Na Eucaristia a família encontra o fundamento e a alma da sua comunhão e da sua missão; na Reconciliação é reconstruída e aperfeiçoada a aliança conjugal e a comunhão familiar. Na oração familiar (feita em comum, a partir da própria vida) encontra-se a força para viver a missão de Igreja doméstica. Importante salientar a missão dos pais de educar os filhos para a oração, de conduzi-los ao mistério de Deus e ao amor ao próximo. Oração é parte constitutiva essencial da vida cristã.

O guia e a norma para o casal e a família cristã é o Espírito Santo, que grava nos corações o dom do amor. Sustentada pelo mandamento do amor a família vive dignamente sua vocação e sua missão, colocando-se a serviço da humanidade e do mundo.

A vida conjugal em Cristo (alimentada pela Eucaristia e Palavra), o diálogo, a oração em casal, são espaços do testemunho do casamento cristão no mundo atual, marcado por valores que contrariam os projetos de Deus para seus filhos e filhas.

O testemunho será serviço aos outros, a perseverança no amor, na Igreja, pouco a pouco irá contagiar tantos casais, jovens, adultos, para que encontrem no sacramento do matrimônio a fonte da vida e da salvação. O matrimônio é fonte de amor, de felicidade, santidade, é sagrado.

O testemunho será sempre a maior referência, por isso devem perseverar na imitação de Cristo, no modo de ser casal, ser pai, ser mãe, ser família, ser fiel à Igreja, vencendo as ondas do egoísmo, do hedonismo, do materialismo, do consumismo, de relativismo, que devastam nosso mundo. O casal e a família cristã edifica a “casa sobre a rocha”, resiste às tempestades.

Nossas relações interpessoais devem ser regidas pelo mandamento do amor, a exemplo de Cristo, carregadas de misericórdia, de solidariedade. O amor é comunhão, é partilha. O matrimônio é caminho de amor, de felicidade e de santidade. Cabe, pois aos casais e famílias serem testemunhas do amor à maneira de Cristo.

Não se esqueça: “O futuro da humanidade passa pela família!” (João Paulo II)

Colunista Padre André Gustavo

 

 

Escrito por
Assinatura pequena André Gustavo Colunista.png
Pe. André Gustavo de Sousa

Arquidiocese de Aparecida (SP).

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.