Por Redação A12 Em Igreja

Evento da Pastoral da Sobriedade do Rio quer evidenciar males do vício

Entre os dias 18 e 25 de fevereiro acontece em todo o Brasil a Semana Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. Para chamar a atenção para esta temática, a Pastoral da Sobriedade do Vicariato Urbano, do Rio de Janeiro, promoverá a palestra "Alcoolismo, suas consequências na família e na sociedade", neste sábado (28), às 16h, na Paróquia São Januário e Santo Agostinho, em São Cristóvão. 

O objetivo é evidenciar dos males do vício e apresentar a Pastoral da Sobriedade à comunidade. A palestra será dirigida à população em geral, e a entrada será gratuita. 

Em entrevista ao Jornal Testemunho de Fé, da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o diretor nacional da Pastoral da Sobriedade, Frei carmelita Fritz Kintz, o.c.d., comentou sobre a atuação da pastoral, a formação de seus agentes e a necessidade da participação da família no tratamento.

Foto de: Arquidiocese do Rio

Fritz Kintz

Frei carmelita coordena os trabalhos da
Pastoral da Sobriedade.

“A atuação é feita através da acolhida nos grupos de autoajuda. Nós atendemos os dependentes e, também, os codependentes, com todos os tipos de vícios. Na acolhida, atentamos para aqueles que mais precisam de ajuda, para auxiliá-los no resgate à sua dignidade. Tomamos sempre como base a pedagogia libertadora de Jesus, estruturada na Palavra de Deus”, afirmou.

Sobre os agentes da pastoral e a capacitação recebida por eles, o frei Kintz afirmou que dioceses oferecem cursos de capacitação permanente com frequência.

“Todos os agentes são voluntários, assim como os membros da diretoria da Pastoral da Sobriedade. A capacitação de nossos agentes é realizada em algumas etapas. A primeira acontece na vivência em um grupo de autoajuda, para ter certeza do 'chamado' ao serviço. Após a afirmação, a pessoa participa de um encontro de capacitação. Com este curso, a pessoa já se torna um agente, mas a formação continua. As dioceses oferecem cursos de capacitação permanente uma vez por mês, com temas escolhidos, sempre buscando aprofundar a realidade local”, completou.

Segundo o Frei carmelita a família tem um papel essencial na recuperação do dependente químico. “É de extrema importância que a família participe da recuperação, pois, após o tempo de tratamento realizado por livre escolha, o dependente retorna ao lar e a família deve ter um novo olhar, uma nova maneira de acolher e de reiniciar a caminhada. Assim como na parábola do 'filho pródigo: festejemos, porque este meu filho era morto e reviveu, estava perdido e se achou'. Por isso a importância de termos em nossas famílias a acolhida, o diálogo, o perdão e o recomeço”.

A sede da Pastoral da Sobriedade, na Arquidiocese do Rio, fica na Rua Pedro Calazans, 55, no Engenho Novo. O telefone é: (21) 3064-2748 e o e-mail sobriedade_rj@arquidiocese.org.br.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.