Por Redação A12 Em Igreja Atualizada em 10 AGO 2018 - 11H49

Homenagens à Irmã Dulce acontecem em Salvador (BA)


OSID
OSID

O dia 13 de agosto foi instituído pelo Vaticano como a data de celebração oficial da festa litúrgica de Irmã Dulce. Desde a beatificação da religiosa, em 2011, a data foi escolhida porque foi nesse mesmo dia, em 1933, na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus (em Sergipe), que Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, aos 19 anos de idade, recebia o hábito e adotava, em homenagem à sua mãe, o nome de Irmã Dulce. Por este motivo, o mês de agosto é marcado por uma intensa programação dedicada a ela, que promete reunir milhares de fiéis e admiradores durante as homenagens à religiosa.

Leia MaisBem-Aventurada Ir. Dulce é exemplo de caridadeA oitava edição da festa em honra à Bem-Aventurada Dulce dos Pobres terá como ponto alto a Missa Solene, no dia 13 de agosto, às 9h, no Santuário da freira (Largo de Roma, em Salvador), presidida pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, mas as comemorações se iniciaram no último sábado, dia 4 de agosto, com o novenário, que prossegue até dia 12 de agosto, sempre às 17h, no Santuário da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres. A cada dia, a celebração conta um pregador e um grupo de homenageados, entre unidades, voluntários e parceiros das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), além de paróquias, congregações, irmandades, órgãos públicos e instituições. As missas serão marcadas também pelo gesto concreto, que este ano consiste na doação de recursos para a construção da segunda etapa da Unidade Dona Dulce, núcleo voltado para o atendimento de pacientes em tratamento de câncer assistidos pela OSID.

Além do novenário, no último domingo, dia 5 de agosto, foi realizada a primeira carreata em homenagem à Irmã Dulce. A procissão percorreu alguns dos principais locais nos quais a Mãe dos Pobres atuou: Largo dos Mares, Água de Meninos, Calçada, Uruguai, Ribeira e Bonfim, retornando em seguida para o ponto de partida (Santuário Irmã Dulce).

OSID
OSID

Mãe dos Pobres - Nascida em 26 de maio de 1914, na cidade de Salvador (BA), Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes começou a manifestar interesse pela vida religiosa desde cedo, ainda no início da adolescência. Aos 13 anos de idade, já atendia doentes no portão de sua casa, no bairro de Nazaré. Sempre com muita fé, amor e dedicação, o Anjo Bom iniciou na década de 1930 um trabalho assistencial nas comunidades carentes, sobretudo, nos Alagados, conjunto de palafitas que se consolidara na parte interna do bairro de Itapagipe, na capital baiana.

Em 1949, Irmã Dulce ocupou um galinheiro ao lado do convento, após a autorização da sua superiora, com os primeiros 70 doentes. A iniciativa deu início à criação das Obras Sociais Irmã Dulce, instituição que abriga hoje um dos maiores complexos de saúde 100% SUS do País, com cerca de 4,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano. Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, e, atualmente, está em processo de canonização. Para ser canonizada (declarada Santa) é necessária a comprovação de mais um milagre atribuído à freira baiana.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.