Por Frei Rinaldo, osm Em Igreja Atualizada em 25 OUT 2017 - 17H32

Prevenção do câncer de Mama: Outubro Rosa

Querido leitor, receba todas as bençãos físicas e espirituais para sua vida e família.

Neste mês, no Brasil é muito conhecido e divulgado o “Outubro Rosa” que é uma maneira de chamar atenção para a prevenção do câncer de mama. É, sem dúvida o que mais está ceifando vidas das mulheres.

:: Outubro Rosa: Ações para prevenção do câncer de mama se espalham pelo Brasil

:: Outubro Rosa: entrevista com o mastologista Matheus Galhardo

Outubro rosa

Há dois tipos: carcinoma ductal (tubos responsáveis por levar o leite ao mamilo) e o carcinoma lobular (local onde se produz o leite). Devemos lembrar que nem todo nódulo que aparece na mama é maligno. Os fatores de risco são aqueles que aumentam a probabilidade do surgimento do tumor. São eles: consumo de álcool, histórico familiar, o aumento da idade, menarca precoce, menopausa tardia, nunca ter engravidado ou ter o primeiro filho depois dos 30 anos.

O câncer de mama não apresenta muitos sintomas, por isso a importância de se fazer os exames preventivos. Como o tumor evolui, é comum aparecer nódulos nas axilas, alteração da forma ou textura da mama ou do mamilo. A mulher pode ter na região da mama um vermelhidão, ondulações ou rugas que se parecem com casca de laranja, fluido no bico do peito. Os sintomas de um câncer de mama avançado podem incluir: dor óssea, desconforto na mama, úlceras de pele, inchaço dos gânglios linfáticos das axilas, perda de peso. O médico vai fazer sempre um exame físico nas mamas, axilas e no pescoço.

A mamografia é fundamental a partir dos 40 anos. Quando diagnosticado logo no início, as chances de cura aumentam muito. O tratamento é baseado em muitos fatores incluindo o tipo e o estágio do mesmo. Vai desde a cirurgia (mastectomia) que é a retirada da mama ou parte dela, a terapia hormonal (terapia dirigida para ver a mutação genética), a quimioterapia (destruir as células cancerígenas), a lumpectomia (retirada do nódulo), a tumorectomia (extirpar a ramificação mamária) e a radioterapia (destruir os tecidos cancerígenos), entre outros.

O tratamento pode ser local ou sistêmico. Em alguns casos, há uma combinação de recursos e tratamentos. Após o tratamento, algumas mulheres continuam a tomar medicação por um tempo. Todas as mulheres continuarão a ter exames de sangue, mamografia e outros exames após o tratamento para monitorar o retorno do câncer ou outro tipo de câncer de mama em desenvolvimento. As mulheres que passaram por uma mastectomia podem ter a cirurgia reconstrutiva da mama .

Isto será feito, quer no momento da mastectomia ou mais tarde. Sobre a prevenção é importante salientar o seguinte: fazer o autoexame (palpação), comer alimentos saudáveis, manter o peso ideal. Os homens também podem ter câncer de mama. É mais raro, mas possível. Os sintomas são: nódulos na mama, dor e sensibilidade.

Prevenção é a palavra chave! Aproveite este mês do Outubro Rosa e esteja em dia com todos os exames preventivos para evitar surpresas desagradáveis lá na frente.

Deus abençoe


Escrito por
Assinatura pequena Frei Rinaldo Colunista.png
Frei Rinaldo, osm

Frei Rinaldo, osm

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.