Por Redação A12 Em Igreja

Rede Um Grito pela Vida tem nova coordenação

Religiosas e religiosos dos núcleos da Rede Um Grito pela Vida, rede nacional da Vida Consagrada para o enfrentamento do Tráfico de Pessoas e Exploração Sexual, elegeram no final do mês de agosto sala nova coordenação.

Após um processo eletivo realizado durante os quatro dias do encontro, por meio de indicações, momentos de espiritualidade e diálogo, o grupo e elegeu com 54 votos, Irmã Bárbara Halina Frugal da Congregação das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria; com 49 votos, Irmã Eurides Alves de Oliveira, da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria e 45 votos  Irmã Anajar Fernandes da Silva, da Congregação das Filhas do Coração de Maria.

eleitas_coordenacao_rede_um_grito_pela_vida

Sobre a problemática do Tráfico de Pessoas em Minas Gerais, Irmã Bárbara disse que a Rede foca na questão da prevenção que se dá através da conscientização nas escolas. Um folder foi confeccionado para as escolas municipais, estaduais que atuam com adolescentes. Escolas e universidades têm aderido à proposta da Rede, desde o lançamento da Campanha Jogue a favor da Vida – denuncie o Tráfico de Pessoas.

folder_rede_um_grito_pela_vida_1_638

folder_rede_um_grito_pela_vida_2_638

Irmã Eurides Alves de Oliveira fez um balanço da caminhada da Rede até então . “Foi um trabalho muito compartilhado com as articuladoras de região, com as referenciais. Um triênio muito denso de trabalho com atividades grandes que trazem um saldo muito positivo de crescimento na participação coletiva, de compreensão da dinâmica da Rede. É um tempo de gratidão por um caminho feito. Continuamos na perspectiva de continuar sendo um dos nós da Rede neste trabalho de animação”, enfatizou.

De acordo com Irmã Anajar, o núcleo da Rede contempla Salvador e Sergipe e o trabalho do enfrentamento se dá a partir da conscientização, cujas armas são a formação da consciência. “Usamos os meios de comunicação como rádio, jornais, televisão e encontros para que as pessoas percebam a grande negativa que o tráfico apresenta, que é a invasão do espaço alheio, da dignidade alheia. É um trabalho de chuva fina no terreno para poder brotar a consciência”, afirmou.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.