Por Redação A12 Em Igreja

Rio de Janeiro recebe exposição de presépios de todo o mundo

Cento e sessenta presépios de 40 países poderão ser vistos na Catedral Metropolitana de São Sebastião No Rio de Janeiro até o dia 20 de dezembro. A exposição organizada em parceria entre a Arquidiocese do Rio e o Centro Loyola de Fé e Cultura PUC-Rio reúne peças da coleção particular do padre José Maria Fernandes, SJ, feitas por artistas e artesãos dos cinco continentes e de todas as regiões do Brasil. A mais antiga delas, herança de família, data do século XIX.

Exposição Presépios RJAlém de representar a cena da Natividade de Cristo, os presépios apresentam traços da cultura e da história dos seus locais de origem. Do Japão, vieram Maria, José e o Menino Jesus, feitos em madeira de bambu, com olhos puxados e vestidos de kimono. No presépio do Cazaquistão, a estrebaria dá lugar a um tipo de cabana típica das regiões rurais do país. As referências estão tanto na forma de esculpir ou montar as peças, quanto nos materiais utilizados, como o couro das renas, do Canadá, ou a pele de uma cobra, da Ilha de Java.

O artesanato popular brasileiro também está presente na mostra, em cerca de 50 peças adquiridas em diferentes estados, principalmente de Minas Gerais. Além da cultura, o destaque neste caso vai para a diversidade natural do país, em peças confeccionadas com as sementes de plantas da Amazônia; as conchas e o côco das praias da Bahia; a palha e a buchinha de Minas; o capim dourado do Centro-Oeste, entre outros.

Uma das primeiras representações de Maria com Menino Jesus nos braços foi encontrada em um mural pintado nas Catacumbas de Priscila, em Roma, com data do século III d.C. Outra representação importante da Natividade vem do ano 350 d.C, quando o Papa Libânio ordenou a construção da Igreja Sancta Maria ad Praesepe, hoje Santa Maria Maggiore, também em Roma. Pelos séculos, a imagem da Madonna com o menino inspirou artistas e foi recriada em ícones bizantinos, pinturas renascentistas e diferentes escolas de arte sacra. No entanto, foi São Francisco de Assis quem ajudou a popularizar a representação do nascimento, ao recriar a cena do Cristo que nasce pobre, entre os animais, colocado em uma manjedoura. Desde então, todos os anos, famílias do mundo inteiro, católicas ou não, montam seus presépios mantendo uma das mais importantes tradições natalinas.

A exposição pode ser visitada das 8h às 16h, na Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, localizada na Avenida Chile, 245.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.