Por Frei Rinaldo, osm Em Igreja

Saúde do homem: Novembro Azul

Queridos internautas

Deus o abençoe com toda sorte de bênçãos físicas e espiritais. Já é sabido que no Brasil, os homens vivem, em média, sete anos menos que as mulheres. Estudos revelam que as mulheres são mais cuidadosas de sua saúde. Desde cedo a mãe tem o costume de levar sua filha ao médico, clínico ou ginecologista, o que não acontece com o homem.

Geralmente é a mãe ou a esposa que marcam a consulta para os seus filhos ou maridos. Isso é fato! Poucos são os homens que tomam iniciativa por conta própria para fazer um check-up de sua saúde.

Novembro Azul - Crédito da Arte: kenkopatto

Por isso que os homens são mais acometidos com doenças do tipo, infarto, colesterol elevado, acidentes vasculares, problemas de pressão, etc. Homens tem medo de médicos, eles, na sua grande maioria, têm medo de injeções e do “jaleco branco”.

Tudo isso poderia ser evitado se houvesse essa cultura de se fazer consultas e exames preventivos e regulares. Acima dos 40 anos as doenças mais comuns que costumam acometer os homens são os problemas de próstata (crescimento benigno – hiperplasia da próstata, prostatite ou até mesmo câncer de próstata). Também doenças relacionadas à bexiga, rim, alterações hormonais, cálculo renal costumam dar o sinal de alerta. Os homens são mais resistentes às manifestações e sintomas de algumas doenças adiando, com isso, a busca de ajuda médica.

O ideal é que os homens, a partir dos 40, procurem ir ao médico, pelo menos uma vez ao ano, e, a partir dos 45, uma avaliação completa no urologista, principalmente se houver casos de câncer na família. Toda doença com diagnóstico precoce possibilita uma maior chance de recuperação e cura, mesmo nas doenças mais graves e agressivas. Para viver mais e melhor, o homem também precisa modificar alguns hábitos de vida: evitar o tabagismo, controlar o consumo de álcool, fazer exercícios físicos, ter uma alimentação saudável.

 

Um dos grandes perigos dos nossos tempos modernos é a questão do stress que afeta tanto homens quanto mulheres.

Um dos grandes perigos dos nossos tempos modernos é a questão do stress que afeta tanto homens quanto mulheres. Em muitos casos, é um nefasto gatilho para desencadear problemas no coração. Cardiologistas afirmam, também, que uma carga de trabalho elevada e forte também desenvolvem problemas cardíacos.

O corpo precisa e reclama seus momentos de descanso e lazer. Por isso cuidar da qualidade do sono também é importante. Com a idade, a produção hormonal masculina também se reduz (andropausa) e isso tem que ser acompanhado. O Excesso de peso é prejudicial. O homem tem a tendência de acumular gordura na região abdominal (gordura visceral). Isso é uma bomba relógio para problemas cardiovasculares, derrames, diabetes e até mesmo a hipertensão. A obesidade associada ao consumo de álcool, sedentarismo, má alimentação, stress, etc, atrapalham e muito a saúde de qualquer pessoa, em especial dos homens.

A decisão de viver mais e melhor está em cada um. Os homens precisam vencer os tabus e preconceitos de buscar um especialista em saúde masculina, em especial um urologista, para fazer o exame do toque retal e outros mais específicos. A urgência disso aumenta ainda mais se houver casos e históricos familiares.

Portanto, homem, escolha viver. Você tem família, filhos, netos e uma vida longa de sonhos e realizações pela frente. Não encurte isso pelo desleixo, preconceito ou outras escolhas equivocadas. Cuidar do corpo é um ato de amor a Deus. Pense nisso!

Com carinho e bênçãos.

Assinatura Frei Rinaldo ATUALIZADA colunista

Escrito por
FREI RINALDO-40 (Juan Ribeiro )
Frei Rinaldo, osm

Frei Rinaldo, osm, nasceu na cidade de Cambará do Sul (RS) e desde muito cedo manifestou seu desejo pelas coisas de Deus. Ingressou aos 13 anos no Seminário Menor Nossa Senhora das Dores da Congregação Religiosa chamada Ordem dos Servos de Maria (OSM). Em 1993 professou, no Chile, os votos solenes, consagrando-se religioso definitivamente.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.