Por Elisangela Cavalheiro Em Igreja

Vice-presidente da CRB avalia Ano da Vida Consagrada no Brasil

Nesta terça-feira (02) a Igreja encerra o Ano da Vida Consagrada, que teve como tema “Vida Consagrada na Igreja hoje: Evangelho, Profecia e Esperança”. Instituído pelo Papa Francisco, esse tempo foi vivido intensamente por congregações religiosas, institutos seculares e todas as diversas formas de vida consagração da Igreja. 

Foto de: A12.

Irmão Jardelino Menegat

Irmão Jardelino Menegat fala durante missa de
encerramento do Ano da Vida Consagrada, em Aparecida,
no último domingo.

Na ocasião do anúncio deste ano especial, o Santo Padre disse que os consagrados “são homens e mulheres que podem acordar o mundo. A vida consagrada é uma profecia”. Profecia no sentido das transformações das realidades. 

No Brasil, o organismo que acompanhou e animou as atividades ao longo deste ano junto aos religiosos e religiosas foi a Conferência dos Religiosos do Brasil, a CRB.  

No último domingo (31), o vice-presidente da CRB, Irmão Jardelino Menegat, participou da celebração de encerramento do Ano da Vida Consagrada, no Santuário Nacional de Aparecida, e nessa ocasião falou ao A12.com sobre o incentivo que os religiosos e religiosas receberam com a vivência deste tempo de graça e como a promoção vocacional necessita de testemunho e revitalização para atrair os jovens. 

"O Ano da Vida Consagrada fez olhar para o passado e ver que tanta coisa boa já se fez, mas também olhar o nosso presente que precisamos revitalizar, fazermos as coisas com muito mais paixão e olhar o futuro, que apesar das dificuldades, tem esperança e possibilidades, mesmo com menos vocação mas talvez com mais convicção", afirmou. 

A respeito da animação vocacional, o vice-presidente destacou o desafio que enfrentam os religiosos. "A vida religiosa prega o permanente e hoje vivemos o mundo do transitório, do passageiro; no entanto, a vida religiosa mostrando que é possível se projetar para um futuro permanente e ser feliz, possivelmente mais jovens vão se encantar, vão se empolgar pela vida religiosa desde que a gente mostre visibilidade, convicção, testemunho e uma vida religiosa verdadeira de seguimento a Jesus Cristo". 

Irmão Jardelino destacou ainda a realidade que vivenciam as congregações com a baixa no número de consagrados, e em contrapartida o esforço dos religiosos e religiosas para apresentar a proposta da vida consagrada aos jovens. "As congregações, devido à baixa do número de seus integrantes, estão buscando todas as alternativas para motivar e mostrar ao jovem que vale a pena ser consagrado", finalizou. 

Leia também: CRB celebra encerramento do Ano da Vida Consagrada em Aparecida

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.