Por Redação A12 Em Evangelhos Atualizada em 22 AGO 2019 - 10H45

Evangelho em Libras | 21º Domingo do Tempo Comum - Ano C

Intérprete: Kiara Maria Socuta Quintanilha
Reflexão: Padre Luiz Camilo Júnior, C.Ss.R

(Lc 13,22-30)

Naquele tempo, Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 
Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” 
Jesus respondeu: “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. 
Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta!’ 
Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’. 
Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!’ 
Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!’ 
Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no Reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora. 
Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. E assim há muitos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Reflexão

O Evangelho deste domingo começa com uma pergunta sobre a salvação. Todos nós queremos a salvação, mas nem todos nós a buscamos, nem todos nos esforçamos para obtê-la. A salvação é comparada a uma porta estreita, e o critério para passar por esta porta é a prática da justiça.
Assim, passar pela porta estreita, como diz Jesus, é fazer do amor a medida de nossa vida. Por isso, a parábola que Jesus conta para responder aos que lhe perguntavam se são poucos os que se salvam, nos ensina que salvação não é simplesmente o mero cumprimento de preceitos religiosos. Há muitas pessoas que são fiéis aos seus compromissos religiosos, não faltam às missas, participam de grupos de oração, porém são pessoas injustas com seus irmãos.
Pessoas que comungam Jesus com os lábios, mas não o acolhem de verdade no coração. Por isso, Jesus afirma no Evangelho que estas pessoas que viveram uma fé apenas de aparência, serão tratadas como desconhecidas. Pois os lábios até rezavam bonito, mas o coração não buscou e nem viveu a justiça do Reino. Assim, são a prática da justiça, a vivência da compaixão e o exercício da caridade que nos capacitam para entrar no Reino de Deus. 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Evangelhos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.