Por Redação A12 Em Evangelhos Atualizada em 14 OUT 2020 - 11H54

Evangelho em Libras - 29º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Reflexão: Padre Luiz Camilo Jr - C.Ss.R.
Intérprete: Kiara Maria Socuta Quintanilha

(Mt 22,15-21)

Naquele tempo, os fariseus fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra. Então mandaram os seus discípulos, junto com alguns do partido de Herodes, para dizerem a Jesus: “Mestre, sabemos que és verdadeiro e que, de fato, ensinas o caminho de Deus. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências. Dize-nos, pois, o que pensas: é lícito ou não pagar imposto a César?” Jesus percebeu a maldade deles e disse: “Hipócritas! Por que me preparais uma armadilha? Mostrai-me a moeda do imposto!” Levaram-lhe então a moeda. 

E Jesus disse: “De quem é a figura e a inscrição desta moeda?” Eles responderam: “De César”. Jesus então lhes disse: “Dai, pois a césar o que é de césar, e a Deus o que é de Deus”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!



Reflexão

Deus nos ama com infinita misericórdia e nos traz de volta para junto dele quando nos desviamos do seu caminho. Quando sofremos ele se compadece de nós e alivia nossas dores, inclusive o sofrimento causado pelas formas de servidão a que nos sujeitamos por causa das vezes que colocamos outras coisas no seu lugar. Assim, o evangelho nos ensina a fazer discernimento entre as coisas de Deus e as que não são de Deus, e dessa escolha depende nossa vida e felicidade.
No evangelho, tentam colocar Jesus numa armadilha. Os fariseus enviaram discípulos até Jesus para interrogar sobre a legalidade de se pagar imposto a César, o imperador romano, que havia imprimido na moeda a sua figura, para que também fosse adorado como um deus. Se Jesus dissesse que era licito pagar o imposto a César, estaria contradizendo todo o seu projeto de libertação em favor da vida do povo. Se dissesse que não, estaria contrariando o poder de César e seria tratado como um subversivo que precisava ser eliminado. 
Aos que o questionavam, Jesus pede que mostrem a moeda que estava com eles. Ao ver a moeda, Jesus pergunta de quem é a imagem que está na moeda. Eles respondem: é de César. Então Jesus diz a forte palavra: “dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”.
Então nos cabe perguntar: o que é de Deus e o que é de César? Como podemos discernir entre o que é de Deus e o que não é de Deus? 
De Deus é o ser humano, criado à sua imagem e semelhança. De Deus são os procedimentos justos, de amor, honestidade, bondade, verdade, caridade, de compromisso com o próximo. Enfim, tudo que gera vida e defende o valor da vida é de Deus. De César são os poderes deste mundo que não servem, mas oprimem e matam, a arrogância, a hipocrisia, a indiferença, a falta de solidariedade e de compromisso com a vida do próximo. Essas coisas precisam ser tiradas da vida, pois uma pessoa que é de Deus não pode guardar em seu coração tais sentimentos e nem ter em sua vida essas atitudes.
Assim, o evangelho nos convida a fazer uma revisão de nossas ações para podermos fazer as escolhas em Deus e escolher o que é de Deus.

.:: Liturgia

.:: Deus Conosco Dia a Dia 


Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Evangelhos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.