Por Redação A12 Em Evangelhos Atualizada em 18 SET 2019 - 11H44

Evangelho em Libras | 25º Domingo do Tempo Comum – Ano C

Intérprete: Simone Vecchio
Reflexão: Padre Marcelo Magalhães

(Lc 16,1-13)


Naquele tempo, Jesus dizia aos discípulos: “Um homem rico tinha um administrador que foi acusado de esbanjar os seus bens. Ele o chamou e lhe disse: ‘Que é isto que ouço a teu respeito? Presta contas da tua administração, pois já não podes mais administrar meus bens’.

O administrador então começou a refletir: ‘O senhor vai me tirar a administração. Que vou fazer? Para cavar, não tenho forças; de mendigar, tenho vergonha. Ah! Já sei o que fazer para que alguém me receba em sua casa quando eu for afastado da administração’.

Então ele chamou cada um dos que estavam devendo ao seu patrão. E perguntou ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu patrão?’ Ele respondeu: ‘Cem barris de óleo!’ O administrador disse: ‘Pega a tua conta, senta-te, depressa, e escreve cinquenta!’
Depois ele perguntou a outro: ‘E tu, quanto deves?’ Ele respondeu: ‘Cem medidas de trigo’. O administrador disse: ‘Pega a tua conta e escreve oitenta’.

E o senhor elogiou o administrador desonesto, porque ele agiu com esperteza. Com efeito, os filhos deste mundo são mais espertos em seus negócios do que os filhos da luz. 9E eu vos digo: usai o dinheiro injusto para fazer amigos, pois, quando acabar, eles vos receberão nas moradas eternas.

Quem é fiel nas pequenas coisas também é fiel nas grandes, e quem é injusto nas pequenas também é injusto nas grandes. Por isso, se vós não sois fiéis no uso do dinheiro injusto, quem vos confiará o verdadeiro bem? E se não sois fiéis no que é dos outros, quem vos dará aquilo que é vosso?

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou odiará um e amará o outro, ou se apegará a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro”.

— Palavra da Salvação. 
— Glória a vós, Senhor.


Reflexão

O Evangelho de hoje nos convida ao desapego, ao bom uso das riquezas, a ter prudência diante do que administramos.  É preciso ter sabedoria no uso dos bens deste mundo; isso também faz parte do projeto do reino de Deus. 
Diante da demissão por má administração, o administrador busca na fraude e na desonestidade uma saída para seu problema. No desespero da ausência de sentidos e da distância do projeto de Deus, não temos sabedoria para discernir nossas ações e, na maioria das vezes, agimos mal.
Nossas escolhas erradas não podem definir o ser humano que somos. A injustiça gera sempre mais desigualdade e marginalização. Isso nos afasta sempre mais da presença e da escuta de Deus. O maior tesouro que podemos arrecadar nesse mundo são os bens que vem do alto. Valores que não são tirados de nós. Ser ricos diante de Deus!

Busquemos as coisas do alto! O dinheiro participa do sistema que o gera. "A lição é dar preferência àquilo que combina com Deus e o seu projeto. Seu projeto é justiça, amor e igualdade".  Nós precisamos da sabedoria cristã para agir em nossas escolhas e atitudes. Os valores do alto nos permitem a morada eterna. A caridade é definitiva e não perece nunca. A riqueza de nossa sociedade deve ser usada para estarmos a serviço dos menos favorecidos. A riqueza é passageira. 




Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Evangelhos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.