Por Redação A12 Em Mundo Atualizada em 10 ABR 2018 - 14H39

7 de abril é o Dia Mundial da Saúde


Shutterstock
Shutterstock

Neste sábado, 07 de abril, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde, convidam à reflexão sobre o Dia Mundial da Saúde 2018, que revela o tema: “Saúde universal: para todos, em todos os lugares”.

É o que a OMS quer fazer entender é o fato de que a Saúde universal é garantir que todas as pessoas e comunidades tenham acesso aos serviços de saúde sem discriminação ou dificuldades de recursos financeiros. “A saúde universal não é apenas garantir que todos estejam contemplados, mas que todos tenham acesso aos cuidados quando precisam, onde quer que estejam”, diz o site oficial da organização.

Desta forma a campanha em curso quer mobilizar o envolvimento de todos os setores da sociedade para combater a pobreza, a injustiça social, as lacunas educacionais e as condições de vida precárias, entre outros fatores que influenciam a saúde das pessoas.

Aqui no Brasil, o Bispo de Campos (RJ) e Referencial da Pastoral da Saúde da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, diz em mensagem para o Dia Mundial da Saúde: “Na comemoração que a Organização Mundial da Saúde (OMS) adotou para assumirmos uma consciência mais abrangente e plena do que significa a saúde como estado de bem-estar físico, mental, socioambiental e espiritual, somos convidados a refletir e comprometermos com a defesa da saúde pública e nessa linha com o resgate e fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS)".


O Bispo Referencial também destaca o processo hegemônico do capital rentista e parasita que subtrai fundos públicos para os negócios especulativos do setor e reafirma o comprometimento da Pastoral da Saúde que tem o desafio de lutar para fortalecer o SUS. “Por isso torna-se necessário avivar e recriar o sonho que animou o movimento sanitarista e outros coletivos, junto à Pastoral da Saúde, para exigir e fazer acontecer a saúde integral como direito dos cidadãos e dever do Estado”.

A Pastoral obedece três dimensões: a da assistência solidária com a pastoral hospitalar, depois a dimensão de comunidade, propiciando campanhas e uma medicina mais preventiva. Um terceiro ponto é a luta pelas políticas públicas de saúde.

Dom Roberto Paz fecha a mensagem fazendo memória aos leigos que lutaram por uma saúde pública de qualidade para o povo. “Que a memória de tantos leigos e leigas, como Santa Giana Berea Mola e Zilda Arns, nos impulsionem a dar o melhor de nós mesmos e que Jesus, nosso Irmão e Salvador, nos conduza sempre a testemunhar e construir na história que vivemos o seu Reino, de vida, saúde, paz e justiça para todos”.

A Campanha sugere o uso das hashtags: #SaúdeUniversal e #SaúdeParaTodos

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.