Por Wallison Rodrigues Em Música

"Sejamos um para que o mundo creia"

Sejamos um para que o mundo creia

Após cinquenta dias celebrando o fecundo e frutuoso mistério pascal, alguns pontos nos chamaram bastante a atenção: propriamente o dado da ressurreição, a descida do Espírito Santo, o testemunho dos discípulos, a união dos fieis e a volta final de Cristo.

Os Atos dos Apóstolos veio ilustrando a compreensão nítida do Evangelho dentro da comunidade. De modo que a Vida Eterna, tão almejada, não seria simplesmente uma mera ilusão. Ao contrário, é algo concreto, que começa no hoje de cada cristão e se eterniza posteriormente em Deus.

 

...ser testemunha do próprio Cristo – não existe dom maior no discipulado cristão.

O caminho do discipulado não exige coisas extraordinárias. Primeiramente, é um dom divino. Por vir de Deus é simples. Os santos Padres da Igreja acreditavam que é sempre uma estupenda graça de Deus ser testemunha do próprio Cristo – não existe dom maior no discipulado cristão. Haja vista, um dos verdadeiros testemunhos de Cristo se dá na unidade dos fiéis.

O trecho da oração sacerdotal de Jesus (Jo 17), oferecida na última semana do tempo pascal, oferece o sabor do tempo que se aproxima... Clama logo no início para que sejamos um como a Trindade é Una. Ser um como Deus é um. Uma unidade que nos permite sermos fermentos no mundo e ao mesmo tempo, preservarmos a identidade da nossa fé.

Madura é nossa comunidade quando ela é capaz de realizar o encontro pessoal com Deus e o deixa transbordar no encontro pessoal com os irmãos. O primeiro encontro é a base, o fundamento do segundo, enquanto o segundo é o sinal visível e verificável da autenticidade do primeiro.

Ser um para que o mundo creia é a nossa missão. Uma responsabilidade tremenda, na qual poucas vezes pensamos. Mas, com certeza, existem limitações humanas que podem dificultar esta unidade. Existem barreiras que muitas vezes nos impendem de aproximar do irmão. Mas, em uma comunidade cristã, isto não “limitação”, é uma “deficiência”. O maior pecado contra a unidade é quando ele acontece dentro da própria Igreja, que é sinal de comunhão.

A linguagem da unidade não é difícil de ser compreendida, pode ser entendida por todos: doutos e ignorantes, nacionalistas e estrangeiros, cristãos ou não. E é especialmente por isso que a Igreja inteira e cada um dos fiéis tem sempre a necessidade de que Pentecostes se renove. Embora o Espírito esteja presente, é sempre necessário clamar: “Vinde Espírito Santo e enchei os nossos corações” – para que sejamos ‘um’ e o mundo creia.

O Espírito Santo já presente nos fieis, exatamente em força desta sua presença, torna-nos desejosos de recebê-lo com maior plenitude para bem vivermos nossa vocação na unidade e na fraternidade, cujas Mesas diante de nós nos ensinam diariamente.

 

...sejam tão doados e consagrados à verdade do Evangelho, que estejam prontos a doar a vida.

Por fim, o testemunho que Jesus pede à sua Igreja é, ao mesmo tempo, testemunho de fé, de amor e de unidade. Na oração ao Pai, pediu pelos seus: “santificai-os na verdade”, isto é, sejam tão doados e consagrados à verdade do Evangelho, que estejam prontos a doar a vida. Na mesma oração acrescentou: “sejam perfeitos na unidade”. Por que, o amor mútuo dos discípulos e a perfeita união que dela deriva, devem testemunhar ao mundo que o Filho de Deus fez-se homem e veio trazer aos homens o amor divino.

Por isso, em nossa comunidade, no modo como tratamos nossos irmãos, conseguimos testemunhar o valor do cristianismo? Olhando para o rosto de cada irmão, e pensando no modo como agimos uns com os outros, conseguimos testemunhar a veracidade do Evangelho?

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Wallison Rodrigues, em Música

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.