Por Redação A12 Em Santo Padre

A família é a base para defender-se da "colonização do dinheiro", reflete Francisco

A família é a base para defender-se da "colonização do dinheiro", refletiu Papa Francisco na catequese desta quarta-feira (16), na Praça São Pedro, no Vaticano. Esta foi a 28ª catequese dedicada ao tema da família e foi a última deste ciclo.

papa_catequese

Na Praça, sob céu encoberto, cerca de 30 mil fiéis e peregrinos aguardavam com expectativa a a chegada de Francisco. O Papa abriu a catequese lembrando que a conclusão deste ciclo acontece na proximidade do 8º Encontro Mundial das Famílias (22-27 de setembro, Filadélfia, EUA) e do próximo Sínodo dos Bispos (4-25 de outubro). 

 

"...a família está no início, na base desta cultura mundial que nos salva; nos salva de tantos ataques, destruições, colonizações, como a do dinheiro e a das ideologias que tanto ameaçam o mundo". 

"Concluímos as reflexões sobre a família hoje, nas vésperas do Encontro Mundial das famílias em Filadélfia e do Sínodo dos Bispos aqui em Roma, dois acontecimentos que darão nova luz à dimensão universal desta comunidade humana fundamental e insubstituível que é a família. Frente à mentalidade materialista que impera sobre a humanidade, é preciso promover uma nova aliança entre o homem e a mulher que possa orientar a política, a economia e a convivência civil", observou. Para Francisco, esta nova aliança deve contrapor a "sociedade administrada pela tecnocracia econômica".  

Deus confiou à família não o cuidado de uma intimidade fim em si mesma, mas o projeto de tornar “doméstico” o mundo. “Propriamente a família está no início, na base desta cultura mundial que nos salva; nos salva de tantos ataques, destruições, colonizações, como a do dinheiro e a das ideologias que tanto ameaçam o mundo. A família é a base para defender-se”, enfatizou.

Francisco salientou que tudo o que acontece entre o homem e a mulher deixa marcas na criação. Em concreto, o pecado original – a rejeição à bênção de Deus – adoeceu o mundo. Entretanto, "Deus nunca abandonou o homem; no livro do Gênesis, a promessa feita à mulher parece garantir a cada nova geração uma bênção especial para defender-se do maligno", frisou. 

A respeito dessa passagem, Francisco destacou que na sociedade atual "existem muitos clichês" ofensivos que passam a imagem de uma "mulher sedutora que inspira o mal". Ao contrário, "há espaço para um teologia da mulher que seja à altura desta bênção de Deus para ela e a para geração!”, defendeu.

Por fim, Francisco ressaltou que a promessa que Deus faz ao homem e à mulher inclui todos os seres humanos até o fim da história. “Se tivermos fé suficiente, as famílias dos povos da Terra se reconhecerão nesta bênção. Caminhando juntos, sem fazer proselitismo”, disse o Papa.

Francisco proferiu 28 catequeses e uma oração dedicadas ao tema da família, desde o encerramento da assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos sobre a família, em 2014.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.