Por Redação A12 Em Santo Padre

Livro destaca principais pontos do magistério do Papa Francisco

Celebrar o pontificado do Papa Francisco e as iniciativas que estão mudando os rumos da Igreja. Estes são alguns dos pontos abordados no livro ‘Grandes metas do Papa Francisco’, de autoria do Arcebispo emérito de São Paulo, Cardeal Cláudio Hummes.

Foto de: Divulgação/Paulus

Grandes metas do Papa Francisco de Dom Claudio Hummes

O Cardeal atendeu a imprensa na noite de ontem, 31, na Canção Nova, em Cachoeira Paulista, interior de São Paulo, durante lançamento do livro.

A obra, publicada pela Paulus Editora, nasceu da admiração do Cardeal Cláudio Hummes pelo Papa Francisco e do desejo de homenagear o Santo Padre pelo seu aniversário de oitenta anos de vida. O livro destaca 21 temas das muitas considerações do Papa em suas catequeses e homilias.

Em suas 96 páginas, o arcebispo emérito descreve de forma simples e clara as prioridades do Papa para guiar a Igreja de Cristo. O livro apresenta os principais pontos do magistério do Papa Francisco, suas preocupações e doutrinas.

Dom Cláudio destacou o segundo capitulo ‘Chorar os mortos que ninguém chora’, onde mostra preocupação do Pontífice com os refugiados e imigrantes. O capítulo contextualiza a viagem do Pontífice para a Ilha de Lampedusa, cujo porto são acolhidos e abrigados milhares de imigrantes. Na ocasião, Francisco lançou no mar uma coroa de flores pelas vítimas dos naufrágios.

“O livro quer divulgar a figura do Papa, seus ensinamentos, atitudes e também ser um gesto de homenagem pelos seus 80 anos. Eu que nasci durante o Pontificado do Papa Pio XI e posso dizer que Francisco foi para mim extraordinário. É um Papa incomum e com muita proximidade com o povo, sobretudo com os mais simples. É um papa sem formalismos”, afirmou.

Dom Cláudio Hummes ainda destacou a importância da eleição do Papa Francisco para a Igreja Católica. “Quando Francisco foi eleito o mundo viu que a Igreja ainda tinha muito a dizer, sobretudo, nos tempos de hoje. Francisco se tornou um líder espontaneamente”.

O Cardeal conta ainda como o Jorge Mário Bergoglio escolheu o nome de Francisco. “Ele escolheu o nome por conta de São Francisco de Assis, o santo dos pobres. Ele faz da pobreza um caminho de Evangelho, de solidariedade e de amor aos pobres”.

No livro, são apresentadas as seguintes reflexões: “Novo papa, novo tempo”; “Chorar os mortos que ninguém chora”, em que o autor descreve um olhar de Francisco para os migrantes e refugiados; “Os pobres – Igreja pobre e para os pobres”, em que o Papa afirma que Deus manifesta a sua misericórdia antes de tudo aos pobres; “Os três ‘T’: Terra, Teto e Trabalho”, em que são observados como direitos sagrados; “Levar a Igreja às periferias”, quando Francisco fala de uma Igreja “em saída”; “Caminhar junto e aquecer os corações”; “Na favela de Varginha (RJ)”; “ Idosos e Jovens”; “Igreja em reforma permanente – Igreja Missionária”.

Há ainda os seguintes temas: “O encontro com Jesus Cristo”; “Salvar o nosso planeta”; “A Encíclica Laudato Si’ I, II e III”; “A Amazônia”; “A paz”; “a família”; “A Palavra de Deus”; “A Igreja cresce por atração – Igreja misericordiosa”; “A Igreja missionária em oração” e, por fim, “Maria, Mãe da Igreja”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.