Por Redação A12 Em Santo Padre

Papa aborda sofrimento das crianças em mensagem de Natal

O Santo Padre, Papa Francisco, em sua mensagem de Natal, pronunciada no Vaticano, nesta segunda-feira, 25 de dezembro, disse que Jesus nasceu por um dom de amor de Deus Pai. “Nos enche de comoção porque é demasiado grande a ternura do nosso Pai”.

Ele falou dos “Ventos de Guerra” que sopram no mundo e um modelo de progresso já ultrapassado, que continua a produzir degradação humana, social e ambiental. “O Natal lembra-nos o sinal do Menino, convidando-nos a reconhecê-Lo no rosto das crianças, especialmente daquelas para as quais, como aconteceu a Jesus, ‘não há lugar na hospedaria’”.


O Papa listou uma série de situações da atualidade em que podemos identificar Jesus:

Vemos Jesus nas crianças do Oriente Médio, que continuam a sofrer pelo agravamento das tensões entre israelenses e palestinos”; disse, pedindo orações pelo diálogo que conduza à coexistência pacífica de dois Estados dentro de fronteiras mutuamente concordadas e internacionalmente reconhecidas.

Vemos Jesus no rosto das crianças sírias, ainda feridas pela guerra que ensanguentou o país nestes anos; nas crianças do Iraque, ainda contuso e dividido pelas hostilidades que o afetaram nos últimos quinze anos; e nas crianças do Iêmen, onde perdura um conflito em grande parte esquecido, mas com profundas implicações humanitárias sobre a população que padece a fome e a propagação de doenças”.

Vemos Jesus nas crianças da África, sobretudo nas que sofrem no Sudão do Sul, na Somália, no Burundi, na República Democrática do Congo, na República Centro-Africana e na Nigéria. Vemos Jesus nas crianças de todo o mundo, onde a paz e a segurança se encontram ameaçadas pelo perigo de tensões e novos conflitos”.

Coreia, Venezuela, Ucrânia

Foram também mencionadas as situações conflituosas na península coreana, na Venezuela, e as violências na Ucrânia. E as crianças vítimas de realidades sociais difíceis:

Vemos Jesus nas crianças cujos pais não têm emprego e naquelas cuja infância foi roubada, obrigadas a trabalhar desde tenra idade ou alistadas como soldados por mercenários sem escrúpulos; vemos Jesus nas inúmeras crianças forçadas a deixar o seu país, viajando sozinhas em condições desumanas, presa fácil dos traficantes de seres humanos”.

Francisco chamou ainda a atenção para o drama dos migrantes que colocam a vida em risco, enfrentando viagens extenuantes que por vezes acabam em tragédia, e voltou com o pensamento à sua recente viagem a Mianmar e Bangladesh: “Espero que a Comunidade Internacional não cesse de trabalhar para que seja adequadamente tutelada a dignidade das minorias presentes na região. Jesus conhece bem a tribulação de não ser acolhido e a dificuldade de não ter um lugar onde poder reclinar a cabeça".

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.