Por Redação A12 Em Santo Padre

Papa Francisco pede exame de consciência para exercitar a paciência

Como de costume o Papa Francisco presidiu hoje (16) mais uma audiência geral, em sua catequese aos fiéis presentes no Vaticano chamou a atenção para umas das obras de misericórdia espiritual, “suportar com paciência as fraquezas do próximo”, o Papa pediu que ao enxergar no outro os defeitos que façamos um exame de consciência perguntando-nos se também não somos inoportunos.

papa_audiencia_2“Somos todos muito bons em identificar a presença de alguém que nos pode importunar. Mas nós fazemos um exame de consciência para ver se somos nós que importunamos?” colocou.

:: Papa nomeia Dom Orlando Brades como novo arcebispo de Aparecida

O Santo Padre apontou como Deus ensina a sermos pacientes.

“Efetivamente, Deus ensina-nos a ser pacientes e misericordiosos, como Ele mesmo o foi com o povo hebreu que se lamentava durante o Êxodo, ou como Jesus que, aos Apóstolos tentados pelo poder e pela inveja, procurava, com muita paciência, fazer-lhes ver aquilo que era o essencial na sua missão”.

Francisco observou que o exercício da paciência também pede outras obras de misericórdia “ensinar ignorantes e corrigir os que erram”.

:: Ano Santo da Misericórdia é encerrado no Santuário Nacional de Aparecida

“Num mundo marcado pela superficialidade, pela busca de satisfações imediatas e efémeras, é muito importante saber dar conselho, admoestar e ensinar” ressalvou.

Na reta final do Ano santo da Misericórdia o Papa pediu para que todos sejam testemunhas da alegria e da consolação do Evangelho.

O Pontífice recordou que no próximo domingo, 20 de novembro, celebra-se o Dia Mundial dos direitos da infância e da adolescência e fez um apelo à consciência de todos, às instituições, às famílias e à comunidade internacional:

“Faço um apelo à consciência de todos, instituições e famílias, para que as crianças sejam sempre protegidas e o seu bem-estar, tutelado, para que jamais caiam em formas de escravidão, recrutamento em grupos armados e maus-tratos. Faço votos de que a comunidade internacional possa proteger as suas vidas, garantindo a cada menino e menina o direito à escola e à educação para que o seu crescimento seja sereno e olhem com confiança para o futuro”, finalizou.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.