Por Redação A12 Em Santo Padre

Papa pede maior atenção às crianças no Dia Mundial do Migrante e Refugiado

Neste domingo (15), a Igreja celebra o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado. Papa Francisco em sua mensagem para este dia deu destaque ao sofrimento enfrentado pelas crianças, que são os mais "vulneráveis e sem voz", segundo o Santo Padre.

"Os menores são os primeiros a pagar o preço oneroso da emigração, provocada quase sempre pela violência, a miséria e as condições ambientais", afirmou o Papa. 

Recentemente, uma menina de sete anos ficou famosa no mundo após mostrar a sua rotina durante a guerra na Síria. Bana Alabed nasceu em Aleppo e viveu grande parte da sua vida sob a guerra e tornou-se uma das vozes que mais repercutiu no mundo nos últimos meses. No final do ano, Bana, sua família e milhares de pessoas, conseguiram ser levadas de Aleppo para outra cidade Síria.  

Bana Alabed ficou famosa no mundo por contar os horrores da guerra em seu país.  
Bana Alabed ficou famosa no mundo por contar os horrores da guerra em seu país.

No dia 12 de janeiro em sua conta no Twitter Bana escreveu: "Sou um refugiado, somos refugiados. Mas vamos superar isso um dia, porque eu mesma superei o cerco de Aleppo".

Mandamento de Deus 

Para Francisco usa dois textos bíblicos para lembrar que acolher o vulnerável é mandamento de Deus: 

"Não usarás de violência contra o estrangeiro residente nem o oprimirás, porque foste estrangeiro residente na terra do Egito" (Ex 22, 20) e "amarás o estrangeiro, porque foste estrangeiro na terra do Egito" (Dt 10, 19).

Segundo o Papa, esta realidade constitui "um sinal dos tempos", um sinal que "fala da obra providencial de Deus na história e na comunidade humana tendo em vista a comunhão universal". 

 

No mundo, existem 65,3 milhões de pessoas deslocadas por motivos de conflitos. 

Francisco pede ainda "soluções duradouras" para que ocorra um "autêntico desenvolvimento que promova o bem de meninos e meninas, esperanças da humanidade". 

Os países de origem e de acolhimento, segundo o Papa, são os primeiros a terem que adotar "procedimentos nacionais adequados e planos de cooperação".

Pesquisa

O número de pessoas deslocadas por motivos de conflitos e perseguições em todo o mundo chegou a 65,3 milhões no final de 2015, de acordo com um relatório da ONU. Essa realidade é considerada a maior crise humanitária desde a 2ª Guerra Mundial.

Segundo a agência da ONU para refugiados (Acnur), uma em cada 113 pessoas no mundo é refugiada, requerente de asilo ou deslocada interna. 

Dos 65,3 milhões, a maioria de 40,8 milhões é de pessoas forçadas a sair de suas casas e que se deslocaram dentro de seus países, os chamados deslocados internos. Outros 21,3 milhões de pessoas fugiram para outros países, e são chamadas de refugiados. Além disso, 3,2 milhões são requerentes de asilo em países industrializados, ou seja, aguardam uma resposta sobre seu pedido de refúgio.

LEIA A MENSAGEM DO PAPA: https://goo.gl/KwAaD4

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.