Por Redação A12 Em Santo Padre

Papa preside vigília de oração "Para enxugar as lágrimas" nesta quinta

Enxugar os rostos banhados por lágrimas de um sofrimento físico ou espiritual, trazendo consolação e esperança. Este é o objetivo da vigília de oração "Para enxugar as lágrimas”, a ser presidida pelo Papa Francisco nesta quinta-feira (05), na Basílica de São Pedro. O evento será retransmitido pela Rádio Vaticano, com comentários em português, a partir das 12h50min, horário de Brasília. A Vigília faz parte do calendário das celebrações Jubileu da Misericórdia, na qual vai ser exposto o relicário de Nossa Senhora das Lágrimas de Siracusa.

Papa Francisco abraça religioso perseguido durante o regime comunista na Albânia
Papa Francisco abraça religioso perseguido durante o regime comunista na Albânia.

A Vigília será marcada por algumas particularidades, entre elas a distribuição de um antigo objeto de devoção usado particularmente no Ano Jubilar, e que remonta ao século IV, o Agnus Dei (Cordeiro de Deus), o presente do Papa tem numa das faces o Cordeiro Pascal e na outra o logotipo do Jubileu da Misericórdia. Haverá também a exposição, para a veneração dos fieis, do Relicário de Nossa Senhora das Lágrimas de Siracusa, para pedir a materna proteção de Maria no mês a ela dedicado.

Testemunhos de pessoas que foram marcadas por algum tipo de sofrimento também irão marcar a Vigília, entre eles o da família Pellegrino, ferida pelo drama do suicídio de um filho; a história de Felix Qaiser, refugiado político e jornalista paquistanês pertencente à minoria católica presente no país, que fugiu para a Itália para dar segurança a sua família; Maurizio Fatamico com o irmão gêmeo Enzo, cuja conversão marcou a história do próprio Maurizio, que quando jovem, mesmo tendo tudo de material, havia pedido o sentido da vida, que somente foi reencontrado com a fé e as lágrimas de sua mãe.

Algumas mulheres também deixarão o seu testemunho. Representadas pela Dona Mariella a história das inúmeras mães, esposas, avós; pelas religiosas, comprometidas em várias missões, a Irmã Silvana e a enfermeira Alessia, que assiste doentes em fase terminal. 

São histórias de dramas, mas também de renascimentos, a partir precisamente destas lágrimas, que caídas no terreno da dor, acabaram sendo plasmadas pela fé e transformaram desertos existenciais em jardins de esperança. 

Para acompanhar a transmissão acesse o canal do Vaticano no Youtube

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.