Por Redação A12 Em Santo Padre

Na Catequese, Papa recorda "dramas” vividos pelas crianças

O Papa Francisco denunciou hoje, 08, no Vaticano, em sua catequese semanal, os “dramas” das crianças de todo o mundo que vivem na pobreza ou são vítimas de maus tratos. “Cada criança marginalizada, abandonada, que vive na rua a mendigar ou com qualquer tipo de expediente, sem escola, sem cuidados médicos, é um grito que chega até Deus e que acusa o sistema que nós adultos construímos”, declarou, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro. Papa Francisco retomou o ciclo de catequeses sobre a família e enfatizou que muitas destas crianças “são presas de delinquentes, que os exploram para tráficos e negócios indignos, ou os treinam para a guerra e a violência”.  

Papa catequese

O Pontífice falou da infância, no contexto de uma triste realidade: a de tantas crianças que são rejeitadas, abandonadas, que veem roubadas a sua infância e o seu futuro.

 

"As crianças nunca são ‘um erro’. Não joguemos sobre elas as nossas culpas". 

“Às vezes, há quem diga que pode ter sido um erro trazer uma criança ao mundo. Trata-se de uma afirmação vergonhosa! As crianças nunca são ‘um erro’. Não joguemos sobre elas as nossas culpas. Que devemos fazer com as declarações dos direitos do homem e da infância, se depois punimos as crianças com os erros dos adultos?”

O Papa prosseguiu ressaltando que todos os adultos são responsáveis pelas crianças e cada um deve fazer o que pode para mudar a situação de quem vive marginalizado, sem educação e saúde.

O Pontífice advertiu ainda sobre a realidade nos países ricos, onde muitas crianças vivem dramas que as marcam, como a crise da família, vazios educativos e condições de vida desumanas. Muitas vezes, os filhos pagam o preço de uniões imaturas e de separações irresponsáveis; sofrem o êxito da cultura dos direitos subjetivos exasperados, destacou. “Nenhuma criança é esquecida pelo Pai que está nos céus”, assinalou o Papa.

A Igreja tem a obrigação de estar ao serviço das crianças e de acompanhar as suas famílias, sobretudo aquelas cujos filhos têm graves dificuldades. “Com as crianças não se brinca!”, pontuou. “É verdade que somos imperfeitos e cometemos muitos erros. Mas quando se trata de crianças que veem ao mundo, qualquer sacrifício dos adultos não será julgado exagerado se isso fizer com que nenhuma criança se sinta um erro ou sem valor”, sublinhou. 

Após a catequese, o Papa saudou os diversos grupos presentes na Praça, e pessoalmente, cumprimentou o fundador da Casa do Menor, Pe. Renato Chiera, acompanhado de alguns auxiliares. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.