Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. Em Redentoristas

Comunidades diversificadas formam a Província Redentorista de São Paulo

 

Missionários pioneiros em 1894.

No final do século XIX, em 1894, portanto há 120 anos, os Missionários Redentoristas chegavam ao Brasil, chamados que foram pelos bispos das dioceses de São Paulo e de Goiás. A primeira turma, formada por 12 redentoristas alemães, se dividiu em dois grupos: um foi para Goiás, a fim de assumir os cuidados do santuário do Divino Pai Eterno, morando primeiro na vila de Campininhas e mais tarde em Trindade. Outro grupo se dirigiu a Aparecida, com a missão de assumir os cuidados do santuário dedicado a Nossa Senhora. Os redentoristas Alemães, vindos da região sul do país, a Baviera, aqui chegaram para ajudar na educação do clero e do povo, trabalhando também na pregação das Santas Missões. Na época, devido às condições da Igreja no Brasil, havia uma grande falta de padres e o clero era insuficiente para atender as paróquias que eram imensas, com amplas dificuldades de comunicação e transporte.

 

"A primeira turma, formada por 12 redentoristas alemães, se dividiu em dois grupos: um foi para Goiás, 

No fundo, por orientação de Roma, estava a preocupação com a renovação da Igreja no Brasil, ajudando a implantar um “Novo Modo de Ser Igreja” porque a Igreja passava por um processo de revitalização, após os prejuízos sofridos durante o império. 

Processo de Expansão Missionária

De Aparecida os redentoristas alemães foram se espalhando pelo Brasil. Com a chegada de novas turmas e com os brasileiros que foram se ordenando a partir de 1908 o grupo foi crescendo cada vez mais. Depois de Goiás, em 1920 foi fundada a Comunidade Redentorista Santa Cruz em Araraquara, SP. No mesmo ano os redentoristas chegavam primeiro a Pelotas e depois a Cachoeira do Sul, RS dando início ao que seria mais tarde a Província de Porto Alegre que hoje engloba comunidades presentes nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Foi uma rápida expansão, e no ano de 1944, portanto há 70 anos, era instalada a Província Redentorista de São Paulo desmembrada da Alemanha, sendo o Pe. Geraldo Pires o primeiro Superior Provincial.

Portanto, da Província de São Paulo saiu a Província de Porto Alegre que está celebrando os 50 anos de sua criação e ainda a Província de Goiás que se estabeleceu como unidade autônoma em 1994, há 20 anos.

 

"Hoje a Província de São Paulo é composta por quase 200 confrades, padres e irmãos, distribuídos em 18 comunidades"

Hoje a Província de São Paulo é composta por quase 200 confrades, padres e irmãos, distribuídos em 18 comunidades. Outros confrades trabalham no estado de Goiás, no Acre, no Suriname, na Vice-Província de Recife ou em Roma, se capacitando ou servindo ao Governo Geral da Congregação. No passado tivemos confrades redentoristas em Angola, na África e outras comunidades que já foram encerradas. 

“Os redentoristas, para corresponderam à sua missão na Igreja, exercem a obra missionária de forma comunitária. Pois a forma apostólica devida em comum abre, de modo mais eficaz, o caminho para a caridade pastoral” (Const. 21) 

COMUNIDADES FORMAM A PROVÍNCIA

As atuais comunidades distribuem-se em blocos que podem ser assim regionalizados:

Comunidades da grande São Paulo: Pesquisas religiosas (Ipiranga), Alfonsianum (Ipiranga), Cidade Tiradentes, Nossa Senhora da esperança (Sapopemba), Diadema e Jardim Paulistano.

Comunidades do Vale do Paraíba: Seminário Santo Afonso, Comunidade Pe. Gebardo, Comunidade das Comunicações, Comunidade do Santuário Nacional em Aparecida e Comunidade Ir. Bento, situada na cidade de Potim.

Comunidades do interior: Comunidade de Miracatu, no Vale da Ribeira, comunidades de Tietê, São João da Boa Vista e Araraquara que são nossas casas missionárias.

Comunidades da região de Campinas: Comunidade São Clemente, em Campinas; Santa Bárbara D’Oeste e Sorocaba.

VIDA E MISSÃO 

Cada comunidade local é regida por um superior escolhido entre seus próprios membros. O superior local, assim como o Governo Provincial, tem a missão de ser o animador da vida da comunidade ajudando seus membros a viverem conforme a índole missionária da congregação, baseando o seu agir e o viver na Espiritualidade Afonsiana que nos coloca, com radicalidade, no seguimento de Jesus Cristo Redentor.

Por esta razão, como muito tempo acontece, sempre no início do ano se realiza um encontro dos superiores das comunidades para que possam refletir sobre sua missão, planejar a vida da comunidade e prosseguir na meta única de formar um verdadeiro “Corpo Missionário”. A reunião deste ano aconteceu no dia 25 de fevereiro em nossa comunidade do Jardim Paulistano, em São Paulo (foto).

 

A força da vida e da missão cumprida encontra o verdadeiro sentido em cada comunidade local que forma a Província Redentorista de São Paulo.

À guisa de conclusão podemos dizer que são anos de intenso apostolado em meios diversificados como nas Santas Missões Populares, no Santuário Nacional, nos Meios de Comunicação, nas paróquias e comunidades inseridas em cidades do interior e em bairros e cidades da grande São Paulo, mas a força da vida e da missão cumprida é que encontra-se o verdadeiro sentido da vida de comunidade expressa em cada comunidade local que forma a Província Redentorista de São Paulo.

Veja a galeria de imagens do encontro de superiores de comunidade realizada no fim de fevereiro: 

 

Padre Inácio Medeiros, C.Ss.R. 
Vigário Vice-Provincial
Araraquara, SP

 

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. , em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.