Por Redação A12 Em Redentoristas

Ordem do Santíssimo Redentor celebra memória de Madre Maria Celeste Crostarosa

Neste sábado (14), a Ordem do Santíssimo Redentor está em festa. A data celebra a memória da data de morte de Madre Maria Celeste Crostarosa, fundadora da ordem religiosa.

Madre Maria Celeste morreu em Foggia, na Itália, no dia 14 de setembro de 1755, aos 59 anos, depois de uma vida de entrega aos desígnios divinos. 

Fundadora das Monjas Redentoristas, Madre Maria Celeste Crostarosa conheceu Santo Afonso e com ele descobriu a vocação para a fundação da ordem religiosa. Junto com ele, fundou a ordem no dia 13 de maio de 1731 e deu forma a uma comunidade que se esforça para viver plenamente o Evangelho de Cristo em todas as dimensões de sua vida humana e religiosa, para ser na Igreja e no mundo um testemunho visível e um memorial vivo do Mistério Pascal da Redenção, no qual o Pai realizou seu desígnio de amor pelo Cristo e no Espírito Santo.

 

Causa de Canonização rompe séculos 

A causa de canonização da Irmã Maria Celeste Crostarosa começou em 1879, 124 anos após sua morte. Um longo período dada a falta de informação das religiosas da ordem sobre os procedimentos para a abertura da causa. Apenas em 1901, o Papa Leão XIII decretou a introdução da causa.

Muitas décadas se passaram até que em 2012 a Conferência dos Teólogos da Congregação do Santíssimo Redentor dedicou-se a incorporar uma nova pesquisa e documentos sobre a fama de santidade da religiosa.

Finalmente, no último dia 3 de junho, o Papa Francisco autorizou a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar o decreto sobre as virtudes heroicas da Irmã Maria Celeste Crostarosa. A partir desta data a religiosa pode ser chamada de Venerável.

A causa de beatificação de Madre Maria Celeste Crostarosa está sob os cuidados do Missionário Redentorista, padre Antonio Marrazzo, que é o postulador geral e continua dentro dos procedimentos habituais, com a análise e verificação das várias supostas curas extraordinárias que aconteceram através da intercessão da Venerável Maria Celeste.

Para a prioria, Irmã Maria Luiza, do Mosteiro da Imaculada Conceição de Itu (SP), a novidade trouxe grande alegria para a ordem. "Agora pelas virtudes, ela recebeu essa graça, e poderá um dia ser beatificada. O que foi motivo de grande alegria para nossa comunidade". 

Atualmente, no Brasil, são dois mosteiros que vivem o carisma deixado por Madre Maria Celestre. O Mosteiro de Itu (SP), que é ligado por laços à Congregação do Santíssimo Redentor, e o Mosteiro da Santa Face e do Puríssimo e Doloroso Coração de Maria de São Fidélis (RJ), que por seguir a regra afonsiana antiga é ligado aos Filhos do Santíssimo Redentor, conhecidos como Redentoristas Transalpinos.

Em Itu, são sete religiosas, e em São Fidelis, quatro irmãs. Um número reduzido que expressa o desafio vivenciado pela ordem na área da animação vocacional.

 

Leia também:

História de Madre Maria Celeste Crostarosa.

A vida das Monjas Redentoristas.

Ordem do Santíssimo Redentor completa 282 anos.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.